Apresentado, Renê revela carinho pelo Inter e fala sobre expectativa de fazer história com o Colorado

Anunciado na última segunda-feira (11/04), o mais novo lateral-esquerdo do Clube do Povo foi oficialmente apresentado na manhã desta terça. Aos 29 anos, Renê chega ao Inter após passagens de destaque por Flamengo, clube com o qual conquistou 10 títulos e atingiu premiações individuais de alcance estadual e nacional, e Sport, com quem ergueu as taças do Campeonato Pernambucano e da Copa do Nordeste. Multicampeão por onde passou, o piauiense destacou, em sua primeira coletiva como atleta colorado, a ambição que carrega para sua trajetória no Beira-Rio.

“Eu saí (do Flamengo) principalmente porque preciso de novos ares, de novos desafios. Sou um cara que gosta de fazer história por onde passa. Passei seis anos no Sport, cinco anos e meio no Flamengo, e espero passar muitos anos aqui. Chego para dar o meu melhor, contribuir no que for preciso, tanto dentro quanto fora de campo, e espero ser muito feliz. Venho nessa confiança, aceitei esse desafio porque acredito que o Inter vai brigar por títulos.”

Renê
Novo lateral colorado foi apresentado nesta terça-feira/Foto: Ricardo Duarte

Contratado até o final de 2024, Renê foi apresentado, na sala de imprensa do CT Parque Gigante, por Emílio Papaléo Zin, vice-presidente de Futebol do Clube do Povo. O dirigente colorado elencou os motivos que levaram o Inter a procurar o vitorioso lateral, e compartilhou suas expectativas de que o novo jogador, ao qual desejou boas-vindas, contribua intensamente na luta alvirrubra por grandes feitos na presente temporada.

“Tenho a satisfação de apresentar o Renê, jogador que tem contrato até dezembro de 2024. Com larga experiência e títulos conquistados por onde passou, é um atleta que, seguindo nossa filosofia de trabalho, vem reforçar o nosso plantel com o objetivo de contribuir positivamente para o alcance dos nossos objetivos nessa temporada. Então, Renê, seja muito bem-vindo. Faça do Beira-Rio a tua nova casa, e desejo, em nome do Sport Club Internacional, uma consolidação da tua carreira já vitoriosa, e que tu te sintas, aqui, absolutamente à vontade.”

Emílio Papaléo Zin
Renê recebeu as boas-vindas de Emílio Papaléo Zin/Foto: Ricardo Duarte

De sua parte, Renê justificou a valorização que recebeu do Inter como o principal porquê de vir a Porto Alegre. O lateral revelou que já fora procurado pelo Clube do Povo em outras ocasiões, tanto durante sua passagem pelo Sport quanto ao longo dos anos que passou no Rio de Janeiro, e sacramentou que, se nas outras vezes o negócio não pudera ser concretizado, agora não desperdiçaria a oportunidade de vestir a camisa colorada.

Foto: Ricardo Duarte

“Acredito que o Inter tem time para brigar lá em cima na tabela, e meu objetivo é vir para cá e fazer história. Em outras oportunidades, o Inter já foi atrás de mim, e eu tenho um carinho especial por ser um clube que sempre tentou me contratar. Quando eu estava no Sport, foi uma vez, e quando eu estava no Flamengo, acho que duas. Não foi possível, mas, dessa vez, eu falei para a minha esposa que queria vir, por ser um lugar onde me valorizavam.”

Renê

Renê também analisou as características do futebol que apresenta dentro de campo. Polivalente, capaz de atuar com obrigações mais ofensivas, a exemplo do que fizera no Flamengo ao longo da temporada de 2019, ou dando maior atenção à defesa, o lateral definiu estar disponível para jogar como o técnico Alexander Medina preferir. Além disso, valorizou a qualidade dos laterais que já integram o elenco colorado, sublinhando que a experiência de seus novos companheiros também deve ser respeitada.

Foto: Ricardo Duarte

“Comecei, no Sport, muito ofensivo. Com o tempo, passei a jogar mais defensivamente, mas vou muito pelo que o treinador pede. Procuro fazer sempre o que o treinador pede. Nos tempos do Jorge Jesus, o Flamengo jogava praticamente com uma linha de três, com a entrada do Arão, e eu ficava mais ofensivo. Depois, chegou o Domènec, e eu já era mais defensivo. Chego para somar, agregar. Não sou salvador, não vai ser por causa da minha chegada que o time não vai tomar mais gols, mas acredito que vou ajudar. Acho a equipe muito qualificada, com laterais de experiência, que podem ajudar também.”

Renê

O espírito solidário e voluntarioso apresentado pelo atleta dentro de campo também se faz presente fora das quatro linhas. Se diante dos microfones o próprio se reconheceu um pouco tímido, Renê confidenciou que, nos bastidores, costuma atuar como uma liderança positiva, sempre trabalhando para ver os companheiros motivados e de cabeça erguida, independente de fase ou minutos somados nas quatro linhas.

“Sou um cara, em público, um pouco tímido, mas, no vestiário, gosto de conversar com cada um. Analisar quando o cara está triste e dar uma animada. Podem esperar isso de mim, sou um líder interno. Gosto de pensar nos meus companheiros, sei como é difícil, e tento motivar, explicar que é no dia a dia que você se prepara para, quando tiver oportunidade, mostrar seu melhor. O Inter vai ganhar um cara que vai ajudar demais fora das câmeras e que, em campo, vai ser guerreiro, vai lutar por tudo, a todo minuto, para essa camisa sair vitoriosa.”

Renê
Renê já foi integrado aos trabalhos no CT Parque Gigante/Foto: Ricardo Duarte

Com nome já publicado no BID, Renê integra, desde o início desta semana, os trabalhos da comissão técnica de Alexander Medina, que tem preparado o Inter para a segunda rodada da fase de grupos da Sul-Americana. Na próxima quinta-feira (14/04), no Beira-Rio, o Clube do Povo enfrentará o Guaireña-PAR na estreia colorada como mandante na competição. Confirme aqui sua presença na partida!

Vitão é apresentado: “vou defender as cores do Inter da melhor maneira possível!”

Mais novo zagueiro do Clube do Povo, o paranense Vitão foi oficialmente apresentado no final da manhã desta sexta-feira (08/04). Contratado junto ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, o atleta, que fechou com o Inter por três meses, já teve o nome publicado no BID, e possui condições legais de defender o Colorado nas disputas de Sul-Americana e Brasileirão. Revelado pelo Palmeiras, Vitor Eduardo da Silva Matos compartilhou, em sua primeira entrevista como jogador alvirrubro, a alegria por retornar ao futebol brasileiro.

“Quero deixar clara minha felicidade por vestir essa camisa.

Estou muito focado,

e vou defender as cores do Internacional

da melhor maneira possível!”

Vitão
Vitão foi apresentado nesta sexta-feira/Foto: Felipe Bortoluzzi

Coube ao vice-presidente de Futebol do Inter, Emílio Papaléo Zin, a responsabilidade de apresentar o novo zagueiro colorado. Na sala de coletivas do CT Parque Gigante, o dirigente deu boas-vindas ao atleta e seus familiares, que marcavam presença no ambiente, além de detalhar as minutas do negócio estabelecido entre Vitão e Clube do Povo. Papaléo ainda ressaltou a vasta experiência internacional do paranaense de 22 anos, campeão do Campeonato Ucraniano e da Supercopa da Ucrânia com as cores do Shakhtar.

“É com muita satisfação que apresentamos o Vitão. Atleta de 22 anos, zagueiro, com grande experiência internacional. Estamos ultimando um contrato de três meses, cumprindo a regra especial da FIFA para atletas do futebol ucraniano. O Vitão poderá disputar a fase de grupos da Sul-Americana, e já está inscrito no BID.”

Emílio Papaléo Zin
Vitão posa para fotos ao lado de Emílio Papaléo Zin/Foto: Felipe Bortoluzzi

Encerrada a fala do vice de Futebol colorado, Vitão posou para fotos com a camisa do Internacional, que vestirá com o número 44 às costas, antes de atender aos repórteres presentes no CT. Uma vez posicionado diante dos microfones, o zagueiro agradeceu pela excelente recepção que teve em Porto Alegre, revelou já se sentir em casa no Beira-Rio e justificou o porquê de ter assinado com o Clube do Povo.

Foto: Felipe Bortoluzzi

“Desde que cheguei, todos me receberam muito bem. Estou me sentindo em casa, e quero agradecer pela recepção de todos. Tive sondagem de outros clubes, mas, com todo respeito a eles, o Internacional é gigante. Quando chegou a proposta, eu não pensei duas vezes.”

Vitão

Cria palmeirense, Vitão pouco atuou como profissional no futebol brasileiro. Multicampeão na base, quando também era figura carimbada nas Seleções Sub-15, Sub-17 e Sub-20, o zagueiro partiu bastante jovem para a Ucrânia, motivo pelo qual não é tão conhecido pelo grande público de seu país. Diante deste cenário, o defensor fez questão de detalhar algumas das principais características que tem dentro de campo.

“Em questão da preferência de lado,

consigo jogar pela direita e pela esquerda.

Vim para fazer meu jogo e, claro,

se for preciso adaptar, estou preparado.”

Vitão

Por fim, o novo reforço alvirrubro falou de suas condições de jogo. Afastado dos gramados há mais de um mês, em consequência da paralisação do calendário futebolístico na Ucrânia, Vitão revelou estar trabalhando forte no CT Parque Gigante desde o início da semana. Os trabalhos, que foram elogiados pelo contratado, têm oferecido ao jogador uma perceptível evolução diária, como o próprio revelou.

“Estou com a minha cabeça totalmente focada em ajudar. Agradeço pela oportunidade e pela confiança que depositaram em mim. Estou preparado, treinando firme nessa semana. O Clube tem grandes profissionais me preparando. Hoje já estou melhor do que ontem, e amanhã estarei melhor do que hoje.”

Vitão
Família de Vitão acompanhou a coletiva direto do CT Parque Gigante/Foto: Felipe Bortoluzzi

Paulo Autuori é apresentado no Beira-Rio

“O destino quis que, exatamente no aniversário do Internacional, a torcida colorada fosse brindada com essa apresentação.” Foi assim que Emílio Papaléo Zin, vice-presidente de Futebol do Clube do Povo, comunicou, de maneira oficial, a chegada do mais novo Diretor Técnico alvirrubro. Aos 65 anos, Paulo Autuori foi anunciado na sexta-feira passada (01/04), mas concedeu sua primeira entrevista neste retorno ao Beira-Rio exatamente na data em que o Colorado completa 113 anos de história. Na Sala de Imprensa do Gigante, o profissional discorreu, ao longo de dezenas de minutos, a respeito dos pilares que nortearam e ainda norteiam sua trajetória no futebol mundial, concentrando atenções e holofotes ao longo desta manhã de segunda-feira (04/04).

“Meu trabalho é muito simples:

facilitar ao máximo a vida do treinador.

E, para isso, vou me dedicar.”

Paulo Autuori
Alessandro Barcellos (E), Paulo Autuori e Emílio Papaléo Zin/Foto: Ricardo Duarte

Coube ao presidente Alessandro Barcellos a primeira fala na coletiva, e o mandatário fez questão de, antes mesmo de cumprimentar o Diretor Técnico, celebrar o aniversário colorado através de pronunciamento à Maior e Melhor Torcida do Rio Grande. Nesse, o dirigente citou a gloriosa história alvirrubra e sublinhou os esforços que o Clube tem empreendido com o objetivo de atingir crescente sucesso e acumular alegrias. Barcellos ainda lembrou das iminentes estreias em Sul-Americana e Brasileirão, respectivamente previstas, no calendário alvirrubro, para os próximos dias 6 e 10, para então saudar a chegada de Paulo Autuori ao Inter.

“É disso que se trata esse momento. De saudar a história e de nos colocar em dois grandes desafios a curto prazo. Para isso, temos feito algumas correções e avaliações, e hoje é um ponto importante. O Autuori vem cumprir uma função que é nova no futebol brasileiro. Que poucos exercem, e ainda menos com a maestria que ele desempenha. Tem um perfil que dispensa apresentações, e a capacidade dele de fazer uma leitura nas mais diversas dimensões que incluem o futebol nos dão a certeza de que essa história vai deixar um legado muito grande.”

Alessandro Barcellos
Presidente (E) abriu a coletiva de apresentação do novo Diretor Técnico/Foto: Ricardo Duarte

Papaléo sucedeu o presidente, e igualmente exaltou o currículo construído por Autuori no futebol. Multicampeão como treinador e também vencedor na recente trajetória que constrói fora das quatro linhas, o profissional teve elogiado seu trato com as pessoas, capaz de, nas palavras do vice-presidente de Futebol do Inter, deixar portas abertas por onde passou. As valências do Diretor Técnico, inclusive, têm sido atestadas por todos desde sábado (02/04), quando o carioca de 65 anos acompanhou, pela primeira vez, atividades no CT Parque Gigante.

“O momento não é de comemoração, porque nós, como disse o presidente, logo mais embarcamos para fora, onde começaremos um importante certame. Já no próximo final de semana começa o Campeonato Brasileiro, e nosso foco está absolutamente centrado nessas competições. Mas nem por isso deixamos de festejar, nesse dia, a chegada de Paulo Autuori, que não parou um minuto desde que chegou a Porto Alegre. Não tenho a menor dúvida de que será uma grande contribuição. Seja muito bem-vindo!”

Paulo Autuori
Autuori (C) já acompanhou as atividades do último sábado/Foto: Ricardo Duarte

Devidamente recepcionado, com direto a entrega de camisa personalizada, Paulo Autuori agradeceu pelo caloroso trato com que foi recebido em seus primeiros dias de Inter, e deixou claro que a melhor maneira de responder às boas-vindas será através do trabalho. Diante dos microfones, o protagonista da manhã parabenizou a “enorme, histórica e gloriosa” instituição que é o Clube do Povo, e passou a atender aos questionamentos feitos pela imprensa. Logo de cara, em sua primeira resposta, o Diretor Técnico elaborou sobre o papel que o futebol ocupa em sua vida.

Foto: Ricardo Duarte

“Costumo dizer que o futebol é vida. Por vezes, queremos deixar o futebol em um mundo à parte, mas as coisas não são assim. Cada vez mais, ele é um fenômeno socioeconômico. Sociológico, antropológico, porque é tudo, contexto e homem, e mesmo filosófico, e talvez algumas escolas de treinadores sejam fortes porque contemplam isso. O treino faz o jogo, e o jogo justifica o treino.”

Paulo Autuori

Preparador físico no início de sua carreira, que logo tomou o rumo do comando de casamatas, Autuori soma mais de 25 anos de experiência no futebol do exterior. Dono de passaporte que conta com carimbos de Japão, Catar, Peru e Colômbia, ele, que milita no esporte há quase cinco décadas, começou a atuar de maneira específica em cargos de bastidores no início de 2017, e desde então acumula passagens, seja enquanto coordenador ou diretor, por equipes como Athletico-PR, Fluminense e Santos. Independente de função, porém, Paulo elencou o trabalho em equipe como característica que mais valoriza no dia a dia.

“Saber a diferença entre o ser e o estar. Aprendi isso ao longo da minha vida. Ser é uma coisa duradoura, e estar é momentâneo. Para mim, a terminologia não diz absolutamente nada. A minha essência é o trabalho em equipe. Sempre foi, na minha vida no futebol. Passei por todas as atividades ligadas ao campo, o que me dá segurança em relação àquilo que é o nosso contexto. E me gera convicções muito claras em relação a poder ter passado por três continentes e ter tentado entender o que é o futebol nesses lugares.”

Paulo Autuori
Paulo Autuori é o novo Diretor Técnico colorado/Foto: Ricardo Duarte

Desde que chegou a Porto Alegre, Paulo Autuori já empreendeu suas primeiras ações na rotina do CT Parque Gigante. Profundo conhecedor das particularidades do calendário brasileiro, ele reconhece que o futebol de nosso país oferece tempo extremamente escasso para trabalhar, e sabe que, diante deste cenário, a agilidade assume contornos ainda mais fundamentais, bem como a honestidade no trato com o grupo de jogadores – que precisa ser recíproca, independente da situação encarada dentro de campo.

Foto: Ricardo Duarte

“Não há como você falar em tempo no futebol brasileiro. Isso é óbvio. Agora, assim que você entra, existem medidas de curtíssimo prazo, outras de curto, e também de médio. Uma coisa que eu exijo sempre, dos grupos com os quais trabalho, é que nós somos o que somos, e temos que sê-lo em todas as circunstâncias e momentos. Meu contato com os jogadores é diário, permanente, assim como com a comissão técnica. O fim do processo é o jogo, mas, até chegar lá, existe um invisível, que para a maioria das pessoas não interessa. Nós julgamos resultado, mas não analisamos o trabalho.”

Paulo Autuori

A respeito dos primeiros contatos que estabeleceu com os profissionais que integram o Departamento de Futebol colorado, Paulo Autuori elogiou a comissão técnica liderada por Alexander Medina, especialmente pela capacidade de adaptação que o uruguaio tem apresentado na capital gaúcha. Fiel aos seus princípios, o ‘Cacique’ demonstra evidente disposição a se encaixar nas exigências do contexto colorado, qualidade comemorada pelo novo Diretor.

Foto: Ricardo Duarte

“Acho que o Inter tem uma comissão técnica de muito bom nível. Trabalhei muito tempo fora do Brasil, e posso dizer que o Medina tem uma coisa extraordinária, que é saber ler o contexto. Por vezes, alguns profissionais, quando trabalham fora de seu país, tentam apenas repetir o que faziam nos seus. Se adaptar ao contexto, sem jamais ferir sua ideia, princípios e valores; nisso, o Medina é extraordinário. Pela maneira com que se comunica em relação ao futebol.”

Paulo Autuori

Autuori ainda falou sobre o papel fundamental que o aspecto psicológico desempenha no futebol de hoje. Para além das sempre citadas valências físicas, técnicas e táticas, o carioca ressaltou que os jogadores precisam ter um lado mental forte para atingir o sucesso. Com isso, podem superar, inclusive, equipes mais bem cotadas, ao mesmo tempo em que a ausência dessa capacidade tem o potencial de comprometer todo o resto do que foi preparado.

Foto: Ricardo Duarte

“A forma desportiva é muito clara, e tem a ver com quatro pilares: técnica, que é do jogador, tática, da estratégia, física e mental, que nesse momento é a mais importante. Mais do que jogador de futebol, você é um competidor. Por vezes, você pode não ser superior ao seu antagonista tecnicamente, mas, se for mais forte mentalmente, vence. Por isso o futebol é imponderável. Por isso tem uma massa de adeptos. Não adianta uma tremenda forma física, a técnica estar bem, taticamente cumprir o que o treinador quer, mas, mentalmente, estar frouxo. Ser forte mentalmente, é isso que eu peço!”

Paulo Autuori

Por fim, o novo Diretor Técnico do Internacional deixou claro que balizará suas atitudes cotidianas a partir das necessidades do Clube do Povo, postura que naturalmente poderá resultar em medidas impopulares – até mesmo para o próprio. As vontades pessoais, afinal, serão relegadas ao segundo plano, em nome de um trabalho que está pronto para lidar com a pressão que decorre de vestir as cores de um gigante do futebol.

“Há situações em que você precisa fazer, em termos de gestão, e estou falando de gestão esportiva, medidas impopulares. Uma coisa é necessidade. Outra, vontade pessoal. E a prioridade sempre estará voltada às necessidades. Aqui não pode ter espaço para o que eu quero. Pressão, no futebol, para mim, passou a ser vulgar, porque quem entrar no futebol e não se der conta de que precisa viver diariamente assim, não vai ter vida longa.”

Paulo Autuori
Diretor Técnico falou durante quase uma hora/Foto: Ricardo Duarte

Já com Paulo Autuori integrado à delegação, o Inter embarcou para o Equador horas depois da coletiva realizada no Beira-Rio. No país vizinho, o Colorado estreará, na próxima quarta-feira (06/04), na fase de grupos da Sul-Americana, título que já conquistou no ano de 2008. O adversário alvirrubro no Estádio de Jocay, em Manta, será o 9 de Octubre, e a partida está prevista para as 21h30.

Carlos de Pena: “estou entusiasmado para sentir o que é o Inter”


Novo reforço para o ataque colorado, Carlos de Pena foi apresentado oficialmente como jogador do Internacional. Após o treinamento da manhã deste domingo (03/04), o uruguaio falou pela primeira vez como atleta do Clube do Povo e recebeu a camisa de número 14 pelas mãos do vice-presidente de futebol Emílio Papaléo Zin.

O jogador foi contratado junto ao Dínamo de Kiev, da Ucrânia, e assinou contrato até dezembro de 2022, com possibilidade de extensão do vínculo. Confira abaixo os principais trechos da entrevista coletiva.

Uruguaio vestirá a camisa 14 (Foto: Ricardo Duarte)

Posição
“Sou um extremo esquerdo, também posso jogar pela direita. Muitas vezes, também joguei de meia interno pela esquerda ou mesmo aberto. Por todo o flanco posso jogar na três posições. Mas minha posição natural é extremo esquerdo, é onde me sinto mais à vontade. Respeitando o que o treinador peça posso mudar de posição e jogar onde ele queira.”

Opção pelo Inter
“Quando recebi o chamado do Cacique, sabendo que o Inter é uma equipe gigante aqui, que ganhou tudo, com títulos de Libertadores e Mundial, a decisão foi muito fácil. Conheço o Cacique, conheço seu estilo de trabalho. Penso que foi uma decisão acertada vir para uma equipe gigante do Brasil. Estou muito feliz e pronto para dar o melhor de mim. Espero que a torcida goste do meu desempenho.”

Conflito na Ucrânia
“Foi um momento duro que passei junto com meus companheiros na Ucrânia, sobretudo com o povo ucraniano. Foram dias difíceis que hoje ficaram para trás. Agora é encarar como uma experiência positiva, aprender com isso. Espero que termine logo, por todas as pessoas que estão lá sofrendo com este problema.”

Experiência na Europa
“Minha experiência na Europa foi muito distinta nos países que estive, na Inglaterra, Ucrânia e Espanha. Considero que a etapa na Ucrânia foi a melhor, pois estava em um momento mais maduro, com boas condições físicas. O futebol brasileiro é diferente. Claro que preciso me adaptar, é um futebol dinâmico, que se joga a cada dois ou três dias. Estou muito entusiasmado, penso que posso me sair bem aqui, ajudar a equipe e quero sentir o que é jogar no Inter.”

Carlos de Pena falou pela primeira vez como jogador colorado (Foto: Ricardo Duarte)

Saiba mais sobre Carlos de Pena:

Formado pelo Nacional de Montevidéu, o uruguaio acumula cinco anos de experiência na Europa, tendo jogado pelo Middlesbrough (Inglaterra), Real Oviedo (Espanha) e desde 2019 no Dínamo de Kiev. Na Ucrânia, participou da conquista de campeonato, copa e supercopa nacional e disputou as competições europeias. Na América do Sul, teve duas passagens pelo Nacional, sendo comandado pelo técnico Alexander Medina em 2018.

Em sua trajetória, se destacou pela contribuição ofensiva com gols e assistências. Em 225 partidas, marcou 40 gols e contribuiu com 35 assistências. Em 2019, foi eleito o melhor jogador da temporada pelos torcedores do Dínamo.

Ficha técnica:
Nome: Carlos María de Pena Bonino
Data Nascimento: 11/03/1992
Local Nascimento: Montevidéu (Uruguai)
Altura: 1,77m

Carreira:
2013 | Nacional (Uruguai)
2015 | Middlesbrough (Inglaterra)
2017 | Real Oviedo (Espanha)
2018 | Nacional (Uruguai)
2019 | Dínamo Kiev (Ucrânia)
2022 | Internacional

Conquistas:
2014 | Torneio Apertura
2015 | Campeonato Uruguaio
2018 | Torneio Intermedio
2020 | Copa da Ucrânia
2020 | Supercopa da Ucrânia
2021 | Campeonato Ucraniano
2021 | Copa da Ucrânia
2021 | Supercopa da Ucrânia

“Chegar aqui é um sentimento muito grande!” Colorado desde a infância, Alemão promete empenho e trabalho com a camisa do Inter

Mais novo reforço do Clube do Povo, o atacante Alemão foi oficialmente apresentado no final da manhã desta terça-feira (29/03). Aos 23 anos, o atleta, anunciado há pouco mais de uma semana, chega ao Inter após se destacar com as cores do Novo Hamburgo, equipe pela qual marcou dois gols e deu três assistências em sete jogos do Gauchão de 2022. Natural de Santa Catarina, o jogador, que vestirá a camisa de número 35, revelou, em sua primeira coletiva como jogador colorado, a satisfação por defender o time do coração de sua família.

“Quando veio a notícia do Inter,

o time do meu coração, sempre fui colorado e minha família também,

a felicidade foi enorme!”

ALemão
Alemão (E) cumprimenta Emílio Papaléo Zin (D)/Foto: Ricardo Duarte

A coletiva de apresentação do novo atacante colorado foi aberta por Emílio Papaléo Zin, vice-presidente de Futebol do Internacional. Diante dos microfones, o dirigente alvirrubro desejou boas-vindas a Alemão, destacando a velocidade com que o catarinense tem se adaptado ao dia a dia do CT Parque Gigante, e também elucidou o modelo de negócio fechado pelo Inter com o atleta, que chega em definitivo, com a maior parte de seus direitos vinculados ao Clube do Povo, até dezembro de 2023.

“O Sport Club Internacional tem muita satisfação em apresentar sua nova contratação: o atacante Alemão, que foi destaque, como todos sabem, nesta temporada, pela Novo Hamburgo. Queremos te desejar uma excelente jornada, a casa é tua. Seja muito bem-vindo! Já está completamente adaptado ao nosso sistema, ao nosso grupo, foi muito bem recebido, e esperto todo o sucesso e que tu te realizes aqui como profissional.”

Emílio Papaléo Zin
Alemão vestirá a camisa 35/Foto: Ricardo Duarte

Sabatinado pelos repórteres presentes na sala de coletivas do CT Parque Gigante, Alexandre Zurawski não titubeou em definir o Inter como o maior desafio de sua carreira. Prospectado no futebol do Interior do Rio Grande do Sul, Alemão lembrou que a história colorada é fértil em exemplos de jogadores que chegaram de clubes de menor expressão e se tornaram referências no Beira-Rio. Para repetir o brilho desses, o atacante prometeu muito trabalho na rotina de treinamentos.

Foto: Ricardo Duarte

“Com certeza, é o maior desafio da minha carreira até agora. O time de maior expressão, a camisa de maior expressão. O futebol está cheio de exemplos. Estou construindo a minha carreira, o Inter é um clube de um nível acima, o maior que peguei até agora, e acho que a vida é feita de desafios. Vou ter um aqui, e espero me dar bem. O sucesso vem com a continuidade, com o treinamento no dia a dia. É um conjunto, e vamos buscar estar sempre trabalhando pela melhora, para o resultado aparecer dentro de campo.”

Alemão

Alemão também comentou a briga por posição no ataque colorado. Polivalente, ele surgiu para o futebol como jogador de beirada, mas há três anos já atua de maneira mais centralizada. Como referência, porém, passa longe de ser um atleta de pouca movimentação, tanto que acredita que sua mobilidade foi um dos trunfos para atrair a atenção do Inter. Agora, o camisa 35 espera seguir evoluindo tanto nas estatísticas quanto no comportamento dentro de campo.

Foto: Ricardo Duarte

“Todos os atletas que estão aqui brigam por espaço. Estou chegando agora, há pouco tempo, e já estou bem confortável aqui no Clube. Vou brigar por espaço, dar o meu melhor. Trabalhei forte em todos os clubes até agora. Há dois anos e meio, quase três, eu jogo como centroavante, e desde o começo do Gauchão eu fui muito bem. Não é só número, gols e assistências, e acho que isso se dá a minha evolução. A movimentação é muito importante para ajudar o time.”

Alemão
Alexandre Alemão durante os trabalhos com o grupo/Foto: Ricardo Duarte

Confira outras aspas:

A quase desistência do futebol

“Eu era jovem, com 16 anos, e não imaginava chegar em um nível assim. Então eu parei, fui buscar meu espaço na área do trabalho, e voltei muito por causa da minha empresária. Me viram jogando uma pelada de final de semana e me chamaram para começar com peneiras em clubes. A partir daí, foi um crescimento. Com certeza, chegar aqui é um sentimento muito grande.”

Alexandre Alemão

Como pode contribuir para o setor ofensivo

“Quando fui para o Avaí, já era centroavante, e lá tive uma ajuda do pessoal das estatísticas e da análise de desempenho. Me adaptei muito bem, tenho evoluído cada vez mais, e treinado para isso. No Novo Hamburgo, disse que buscaria muito o gol, e me destaquei marcando e dando assistências. Hoje, o treinador frisou que temos que atacar mais a área, chutar mais no gol. Isso está sendo trabalhado.”

Alexandre Alemão