Gurias Coloradas: Retrospectiva 2020

Fotos: Mariana Capra/Internacional

Que ano para as Gurias Coloradas! Mesmo com todas as dificuldades que 2020 apresentou ao mundo, o time feminino do Internacional conseguiu trilhar uma campanha histórica nessa temporada. No Brasileirão A1, finalizou a sua jornada na terceira colocação geral, com 33 pontos, chegando até as quartas de final da competição. No estadual, coroou a campanha invicta com a taça do bicampeonato gaúcho. Além de contar, ainda, com um título inédito para o Clube do Povo nas categorias de base, o Brasileirão Sub-16!

Grupo Forte
Todas as 27 atletas que formam o plantel colorado entraram em campo neste ano. A rotatividade do elenco permitiu que o grupo se mantivesse entrosado e brigando forte em todas as competições que disputou. A equipe vermelha contou ainda com a juventude do Celeiro de Ases: atualmente oito atletas reveladas pelas categorias de base do Internacional integram o elenco profissional. A goleira Mayara, as laterais Bruninha e Belinha, a zagueira Isa Haas, as meias Julia e Malu e as atacantes Layssa e Jheniffer participaram com grande destaque na campanha colorada.

“O nosso time muda, mas não sem convicção, nada aleatório. A gente muda com essa ideia de que temos um elenco forte e de que um elenco forte se constrói com todas as atletas em campo atuando. Uma jogadora polivalente demonstra a evolução do futebol, ela entende mais o jogo e aumenta o nosso leque de possibilidades”, afirma o técnico colorado, Maurício Salgado.

No comando há dois anos, Salgado apresentou as suas credenciais logo no primeiro ano à frente da equipe, quando levou o Colorado até as quartas de final do Brasileirão A1 e ao título gaúcho, de forma invicta, em 2019. “Eu sempre tenho um planejamento, quando chego a uma nova equipe coloco como prioridade onde queremos chegar e, a partir daí, como podemos chegar. Então, logo que eu cheguei no Inter, o primeiro ponto foi a ideia de dar continuidade a um trabalho que já existia e a partir daí ir imprimindo a minha marca pessoal”, afirma o comandante.

Números que impressionam
No Brasileirão A1 2020, o Clube do Povo chegou até as quartas de final, sendo a equipe com o segundo melhor ataque. Foram incríveis 42 gols marcados, sendo vazado apenas 18 vezes durante as 17 partidas disputadas. Ao todo, são dez vitórias, quatro empates e três derrotas com 66% de aproveitamento. Na primeira fase, as Gurias Coloradas foram superadas apenas pelos dois times que fecharam a ponta de cima da tabela, Corinthians e Santos, respectivamente. 

“Fomos a equipe do Campeonato Brasileiro que mais roubou bola no primeiro terço do campo entre todas as equipes que disputavam a competição. Além de ser a equipe que mais gerou finalizações a gol, e isso comprova, primeiro, a excelência do trabalho físico desenvolvido e, segundo, a proposta de jogo que funcionou”, avalia Salgado.

Normalmente atuando em um 4-3-3 que se adapta ao longo do embate, o esquema colorado impressionou com a sua consistência defensiva, comandada pela experiente capitã Bruna Benites. Com poucos revés ao longo do campeonato, o comandante buscou utilizar suas forças desde a saída de bola, construindo jogadas da defesa ao ataque pelos corredores laterais. A aposta foi na velocidade, impondo acelerado ritmo de jogo, e na antecipação de jogadas através das tomadas de decisão do plantel, o que é comprovado através da grande quantidade de atletas envolvidas nos gols colorados. A equipe, que muitas vezes somou posse de bola superior às rivais, fez o setor ofensivo ser marcado por intensa movimentação.

“O nosso sistema ofensivo trabalha muito com variações táticas que começam desde a defesa até o ataque e nesse ano demos muita ênfase para os corredores de campo, variações de corredores, preencher espaços e a partir daí incentivar também as tomadas de decisão, deixar que a jogadora possa decidir. A gente busca trabalhar com várias alternativas de jogo de acordo com os adversários”, explica Salgado.

A artilharia colorada no campeonato ficou com a maior artilheira de todas as edições do Brasileirão Feminino, Byanca Brasil. A camisa nove foi responsável por anotar dez tentos na competição, sendo a segunda colocada na artilharia geral desta edição, e 47 na contagem geral de todas as edições, além de abrilhantar o campeonato com suas lambretas. O pódio ainda é formado por Jheniffer, cria do Celeiro de Ases, que marcou nove gols. O terceiro lugar é de Fabi Simões, que, lesionada na primeira fase da competição, disputou onze embates e balançou as redes em três ocasiões.

Além disso, os números apontam para a excelência do departamento médico colorado. O Inter foi o time com menos casos de Covid-19 entre as equipes do Brasileirão, o que denota o cuidado das atletas e de todos os profissionais envolvidos. O Colorado é também o grupo com menos lesões graves com necessidade de cirurgias, devido ao ótimo trabalho de preparação física, feito por Suellen Ramos.

Bicampeonato Gaúcho
Já no Gauchão, o Clube do Povo finalizou o ano erguendo mais uma vez a taça. O bicampeonato veio de forma invicta, com 100% de aproveitamento. Foram três vitórias nas três partidas disputadas, com um saldo total de 30 gols marcados e apenas um sofrido, caracterizando o melhor ataque e a melhor defesa da competição. 

As Gurias Coloradas superaram Brasil de Farroupilha e João Emílio na primeira fase para se consagrarem campeãs em um clássico Gre-Nal. Esta foi a segunda taça consecutiva e a nona na história, confirmando a supremacia vermelha, após a vitória por 2 a 1. A artilharia da competição também foi colorada. Byanca Brasil fechou o campeonato com seis gols marcados, sendo um deles na final, e assumiu a primeira colocação, sendo seguida pelas companheiras de equipe Djeni Becker e Jheniffer, com cinco gols cada. 

“Quem assiste a um jogo do Internacional espera que ele seja sempre o protagonista, esteja sempre com a bola, propondo o jogo, sendo um time agressivo. Esse é o nosso modelo.”, afirma Salgado.  

O título marcou ainda uma conquista pessoal da camisa sete das Gurias Coloradas, Shashá. No dia 18 de dezembro a atleta se despediu da sua mãe, Sandra Pedrozo, que faleceu devido a complicações de saúde. Dois dias depois, no dia 20 de dezembro, lá estava ela em campo para dedicar a conquista para quem sempre a apoiou. Amparada por toda a equipe, a atacante lutou até o apito final.

Foto: Adriano Fontes/CBF

Celeiro de Ases
Cada vez mais forte, a base colorada vem rendendo frutos para o Clube do Povo e esse foi um ano de conquistas para as Gurias Coloradas Sub-16. Em janeiro, foram as responsáveis por levantar a taça da Libertadores da categoria em uma campanha impressionante. Além de serem líderes do Grupo B, ao todo foram quatro vitórias e um empate, com doze gols convertidos e apenas dois sofridos. O Colorado superou quatro adversários: Liverpool-URU, Seleção Antioquia-COL, Colo-Colo-CHI e Guarani de Fortuna-PAR. Além disso, as Gurias já haviam levantado a taça da Liga de Desenvolvimento CONMEBOL na etapa nacional em 2019. Agora, estão classificadas para a Copa Disney, o Mundial da categoria, que reúne os classificados de cada continente em Orlando, nos Estados Unidos, sem data definida após adiamento devido à pandemia. 

Por fim, elas encerraram o ano sendo campeãs do Brasileirão Sub-16. Invicto,‌ ‌o‌ ‌Colorado‌ ‌não‌ ‌perdeu‌ ‌nenhum‌ ‌dos‌ ‌jogos‌ ‌que‌ ‌disputou‌ ‌na‌ ‌competição.‌ ‌Foram‌ quatro‌ ‌vitórias‌ ‌e‌ ‌um‌ ‌empate‌ ‌com‌ ‌triunfo‌ ‌nos‌ ‌pênaltis, superando Santos, Audax, Lusaca-BA e Minas Brasília.‌ Ao todo, foram onze‌ ‌gols‌ ‌marcados‌ ‌e‌ ‌apenas‌ ‌um‌ ‌sofrido,‌ ‌com a‌ ‌melhor‌ ‌defesa‌ ‌e‌ ‌o‌ ‌melhor‌ ‌ataque da competição, assim como a equipe profissional. ‌A‌ ‌artilharia‌ ‌colorada foi ‌comandada‌ ‌por‌ ‌Clarinha‌, dona de quatro ‌tentos, e vice-artilheira geral da competição. 

“O grupo está de parabéns! Fomos a equipe que fez mais gols e sofreu menos gols, não perdemos nenhum jogo, empatamos apenas um, e ganhamos todos os demais. Isso mostra a força que nós temos! Esse foi o primeiro campeonato oficial do ano e conseguimos sair com o título”, destaca David da Silva, técnico da equipe.

As demais categorias não tiveram seus campeonatos realizados neste ano em decorrência da pandemia, mas carregam na bagagem conquistas importantes, como o estadual Sub-14, 16 e 18 e o Brasileirão Sub-18, em 2019. Além disso, as atletas coloradas são presença frequente nas listas de convocação que compõem as Seleções Brasileiras de base. 

Buscando fortalecer essa relação base-profissional, os técnicos responsáveis por cada categoria mantém contato constante com Maurício Salgado e a sua comissão técnica, trocando informações sobre as equipes e atletas. A observação e captação é um dos pontos imprescindíveis para Salgado, que se tornou um dos comandantes que mais utilizou atletas da base em competições profissionais neste ano.

Shashá: Guerreira

Acompanhada de parentes, Shashá ergue o troféu/Foto: Mariana Capra

Sexta-feira, 18 de dezembro de 2020. Camisa sete das Gurias Coloradas, Shaiane Pedrozo acorda para mais um dia de treinos preparativos para a grande final do Gauchão. Antes de partir para o gramado, a atleta, como fizera ao longo de toda a semana, telefona para sua mãe, Sandra, internada por complicações pulmonares. Tranquilizada após receber boas notícias, Shashá, assim conhecida por colegas e torcida, segue até o campo.

Shashá em atividade das Gurias Coloradas/Foto: Mariana Capra

Famosa pelo estilo extrovertido com que sempre contagia o dia a dia das Gurias Coloradas, já no retorno para o quarto Shashá carregava fisionomia bastante carregada. A situação piorara, e logo ela descobriria que sua mãe seria entubada. Colega de quarto da atacante, a defensora Ari acompanhou a crescente tensão que tomou conta de sua companheira.

“Ela voltou pro quarto falando que a mãe estava mal, mas sem saber de mais nada. Aí, começou a conversar com as irmãs por chamada de vídeo e soube que a mãe tinha tido uma parada respiratória, mas que estava em avaliação. Diziam que não tinha como falar que ela estava bem no momento, mas que iria melhorar.”

Ari

Quieta, Shashá partiu para o almoço. Preocupada, a atleta quase não se alimentou, apesar dos pedidos de suas amigas. De volta para o quarto, tomou um banho e, logo depois, recebeu a infeliz notícia de que sua mãe havia partido. Às lágrimas, foi prontamente consolada, primeiro por suas colegas de quarto, na sequência pelo grupo inteiro.

“Naquela hora, passa na cabeça
todo o tempo que a gente fica fora de casa.
Todo mundo se põe no lugar uma da outra.

Ari

A resposta da comissão técnica foi imediata. Liberada das demais atividades do dia, Shashá também recebeu dispensa do treino de sábado e, inclusive, do Gre-Nal decisivo de domingo. Mais do que isso, o Clube tratou de providenciar meio de transporte que levasse a atleta até São José do Norte, sua cidade natal. Técnico das Gurias Coloradas, Maurício Salgado acompanhou tudo de perto.

“Quando a gente soube, primeiro agilizamos um transporte para que ela voltasse para lá rapidamente. Deixei ela totalmente tranquila em relação a priorizar a família, a gente sabe da importância que a mãe dela tem até na construção da carreira da Shashá. Jogaríamos por ela.”

Maurício Salgado

Localizado no extremo sul gaúcho, o município de São José do Norte fica a mais de quatro horas e meia de distância de Porto Alegre, longo trajeto que justificou a agilidade para colocar Shashá na estrada. Ao lado de Ari, na própria sexta-feira a atleta partiu em direção à terra natal. Por lá, mais do que se despedir de Dona Sandra, encontrou também força nos braços da família.

“Como conheço há quatro anos a Shaiane, nós já somos muito próximas e nos juntamos uma com a família da outra. Chegando lá, o bonito foi ver que a família dela é muito unida. Se ajudaram.”

Ari

Domingo, 20 de dezembro de 2020. Na Arena Cruzeiro, em Cachoeirinha, Inter e Grêmio se preparam para disputar a final do Gauchão Feminino. Uma hora antes da partida, marcada para as 10h, o Clube do Povo divulga sua escalação. No ataque, chama atenção o nome escalado para o corredor direito: Shashá.

“Quando foi para o interior, ela já manifestou que voltaria, porque era o desejo da mãe dela. Depois, mandou mensagem dizendo que ia retornar. Deixamos muito pelo julgamento dela. O que ela decidisse, nós aceitaríamos. E ela decidiu por retornar e jogar.

Maurício Salgado

Em momento algum Shashá cogitou desfalcar as Gurias na decisão. A vontade de sua mãe, a atacante sabia, era de ter a filha em campo, levantando a taça. Dona Sandra sempre apoiou, com muito orgulho, a trajetória de Shaiane rumo à profissionalização, e serviu de alicerce perfeito para o início de carreira da então jovem atacante. Na semana anterior à finalíssima, a progenitora chegou a reforçar seu desejo durante visita que recebeu da camisa sete colorada.

“Ela sabia que a mãe queria que ela jogasse. Todos eles queriam. A Dona Sandra sempre teve muito orgulho dela, correu pra cima e pra baixo quando a Shashá começou a carreira, só queria ver ela jogando, só isso. E a Shashá sempre manteve a palavra, no próprio velório falou que iria jogar pela Dona Sandra. Foi muito, muito bonita essa atitude dela.”

Ari
Shashá atordoou a zaga gremista/Foto: Mariana Capra

Assim que Leandro Vuaden apitou pela primeira vez, as dúvidas acerca da capacidade de Shashá encarar a decisão foram completamente dissipadas. Peça fundamental no time de Maurício Salgado, a polivalente avante, capaz de atuar nas duas pontas e também compor o meio de campo, deu trabalho para a marcação gremista desde o minuto inicial. Logo aos 9, por exemplo, a camisa sete costurou pelo centro, ajeitou para a perna direita e finalizou colocado. No ângulo, a goleira rival voou para impedir a pintura.

Imagens: RBSTV

O ritmo de Shashá foi acompanhado pelas companheiras de equipe. Usando uma faixa preta na parte superior da camiseta, símbolo do luto compartilhado pelo elenco, as Gurias Coloradas dominaram o início do confronto não apenas nas ações dentro de campo, mas também animicamente. A mobilização era evidente, bem como os motivos para tamanha disposição.

“A gente acaba ficando tanto tempo juntas que todo mundo vira família. A dor de uma é a dor de todas. Antes de começar o jogo, eu falei algumas coisas na roda e citei a Shashá como exemplo, disse que jogaríamos por ela. Ela merecia esse título, e acredito que foi algo que nos deu ainda mais força para buscar a vitória.”

Bruna Benites
Gurias atuaram com faixa preta na altura do ombro

O triunfo de 2 a 1 começou a ser construído aos 28 da etapa inicial. Rafa Travalão disparou pela direita e cruzou com excelência para Djeni, que de cabeça, livre, completou para as redes. Na comemoração, o primeiro abraço recebido pela artilheira foi justamente o de Shashá, cena parecida à atestada na etapa final, quando a camisa sete celebrou efusivamente o gol de Byanca, marcado aos oito.

Shashá voltou a flertar com as redes aos 12 do segundo tempo. Caindo pela direita, ela deixou a marcação para trás, chegou à linha de fundo e, sem deixar a bola sair, cruzou fechado. A bola encobriu a arqueira rival, mas explodiu no travessão. O gol, sonhado e merecido, infelizmente não sairia. A taça, porém, maior homenagem possível, foi conquistada. Pelo Inter. Por Shaiane. Para Dona Sandra.

“Se não fosse ela, eu não estaria aqui. O que ela fez por mim, ninguém faria. Eu não iria desistir disso porque o sonho dela era me ver dentro de campo, e eu acho que o nosso time todo ganhou, venceu, por ela. Jogando por ela.”

Shashá

Emocionada, a camisa sete se atirou ao chão assim que ouviu o apito final. Deitada, pôde aproveitar o sentimento de dever cumprido durante os breves segundos que passou sozinha antes de receber o carinho de Gabi Luizelli. Pouco depois, o elenco inteiro já festejava com a atacante, simbolizando os milhões de abraços que colorados e coloradas do mundo inteiro gostariam de dar em sua guerreira.

Ao lado de Gabi Luizelli e no colo de Ju Ferreira, Shashá festeja a taça/Foto: Mariana Capra

Parabéns pela conquista, Shashá. Sabemos que, de onde estiver, Dona Sandra está comemorando mais uma grande conquista de sua filha, motivo de orgulho para os Pedrozos e também para a Maior e Melhor Torcida do Rio Grande. Estamos contigo neste momento difícil, guerreira. No Colorado, nada nos separa.

Shashá (E), Ari (C) e Carol Gomes (D) comemoram o título/Foto: Mariana Capra

Bastidores do título no Gauchão Feminino

CAMPEÃS! As Gurias Coloradas derrotaram o Grêmio, no último domingo (20/12), e conquistaram o Gauchão Feminino de 2020. Disputado na Arena Cruzeiro, em Cachoeirinha, o Gre-Nal da final foi vencido por 2 a 1, gols de Djeni Becker e Byanca Brasil para o Inter. Confira os Bastidores do título!

CAMPEÃS! Gurias Coloradas vencem Gre-Nal por 2 a 1 e conquistam o Gauchão Feminino!

Capitã Bruna Benites ergue a taça!/Foto: Mariana Capra, Internacional

CAMPEÃS! BICAMPEÃS CONSECUTIVAS! ENEACAMPEÃS NA HISTÓRIA! As Gurias Coloradas derrotaram o Grêmio por 2 a 1, na manhã deste domingo (20/12), e conquistaram o Gauchão Feminino de 2020. Disputado a partir das 10h na Arena Cruzeiro, em Cachoeirinha, o clássico Gre-Nal contou com gols de Djeni e Byanca Brasil, para o Inter, e Pri Back, para o rival. VAMO, GURIAS!


Gurias protagonistas

Djeni Becker comemora o bonito primeiro gol colorado/Foto: Mariana Capra, Internacional

Os movimentos iniciais de partida foram disputados em ritmo extremamente elevado. Postadas no campo ofensivo e apertando a saída de bola rival, as Gurias Coloradas criaram sua primeira oportunidade logo aos dois minutos, quando Ju Ferreira exigiu milagre de Lorena. A arqueira adversária seguiu brilhando ao longo da dezena de abertura do confronto, ao mesmo tempo em que suas estonteadas companheiras apostavam no rodízio de faltas para conter a intensidade do Clube do Povo.

A narração da Rádio Colorada para o testaço de Djeni:

Sport Club Internacional · Rádio Colorada | Gol Byanca Brasil: Inter 2 x 1 Grêmio – Final Gauchão Feminino

Com o passar do tempo, o Grêmio entendeu que, às adiantadas linhas do Clube do Povo, a melhor resposta seria apostar na movimentação de Marta, que passou a pedir por passes em profundidade com o objetivo de sobrecarregar a segura dupla de zaga colorada. As oportunidades mais claras, então, saíram na casa dos 20 minutos. Primeiro, quem assustou foi o rival, mas Gisseli teve seu arremate travado, em cima da linha, por Naná. Depois, aos pontuais 28, quem chegou foi o Inter. Mari lançou Rafa, que disparou pela esquerda e cruzou na medida para a elemento surpresa Djeni abrir o placar.

Camisa 8 encerrou o Gauchão com cinco gols/Foto: Mariana Capra, Internacional

Atingida a casa de meia-hora de partida, o ritmo do confronto foi consideravelmente reduzido, fruto do crescente calor em Cachoeirinha. Ensolarada, a exuberante Arena Cruzeiro presenciou, inclusive, algumas interrupções para atendimento de atletas desgastadas com a temperatura. Enquanto os termômetros subiam, o placar se manteve estável, e um parcial 1 a 0 foi mantido até o intervalo.


CAMPEÃS!

Abraçada por Julia, Byanca comemora o segundo do Inter/Foto: Mariana Capra, Internacional

Após cinco minutos de aparente marasmo, o Clube do Povo logo tomou as rédeas da partida também no segundo tempo. A movimentação de Shashá, de novo, esgotou a marcação adversária, que aos oito minutos não conseguiu acompanhar a craque Byanca Brasil. Caindo pela esquerda, a camisa 9 tentou duas vezes para marcar um golaço e ampliar a vantagem no marcador.

Confira o gol de Byanca na narração da Rádio Colorada:

Sport Club Internacional · Rádio Colorada | Gol Byanca Brasil: Inter 2 x 1 Grêmio – Final Gauchão Feminino

O domínio colorado, embora atrapalhado pelo intenso calor, foi continuado após o tento da artilheira do torneio, que chegou aos seis no Estadual. Técnica gremista, Patrícia Gusmão até realizou mudanças que se desdobraram em time cada vez mais ofensivo, mas as novidades foram muito bem decifradas por Maurício Salgado.

Craque foi a artilheira do Gauchão: seis gols/Foto: Mariana Capra, Internacional

Com suas mudanças, a exemplo da entrada de Leidi, o comandante alvirrubro encaixotou o rival. Apenas em rara escapada fruto de erro na saída de bola colorada, Sinara sofreu pênalti que Pri Back converteu, descontando para as gremistas.

A proximidade no placar acendeu alerta definitivo no Clube do Povo, que passou os 10 últimos minutos de partida no campo de ataque, bombardeando a goleira Lorena, figura fundamental para impedir novos gols das Gurias Coloradas. Aos 51 minutos, Leandro Vuaden apitou pela última vez e confirmou: o Rio Grande é do time feminino do Clube do Povo!

Foto: Mariana Capra/Internacional

Melhores momentos – primeiro tempo

2min – SAAAAAALVA, LORENA! Após pressão na saída de bola adversária, Ju fica com a posse e, da entrada da grande área, solta a bomba. Goleira gremista opera o primeiro milagre do jogo.

4min – Pri Back recebe o amarelo por pontapé em Djeni.

6min – Lorena segura! Mari Pires domina na entrada da grande área, pela direita, e finaliza rasteiro. Nova intervenção da arqueira azul.

8min – Cartão amarelo para Bruna Benites. Falta em Marta.

8min – Tiro de meta! Eudimilla bate bem, a bola encobre a barreira, mas vai pela linha de fundo.

9min – MILAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAGRE! QUE JOGADA DE SHASHÁ! Camisa 7 desarma no campo de ataque, costura da direita para a esquerda e, nas cercanias da grande área, manda o canhotaço. A bola tinha endereço, o ângulo, mas Lorena dá linda ponte para salvar as azuis.

15min – Kemelli! Marta é lançada nas costas da marcação colorada e, percebendo as boas condições da atacante rival, goleira alvirrubra deixa a meta para cortar o perigo.

18min – CANTO BOLA! Byanca Brasil serve Mari Pires, que não consegue a finalização. Sinara afasta mal, ela volta com Mari, e a camisa 10 deixa com Djeni, que finaliza travada. Escanteio para o Inter.

20min – É LÁ E CÁ! Rebeca vai ao fundo pela esquerda e cruza rasteiro para Marta. Kemelli abafa a centroavante, mas a sobra, com o gol aberto, é de Gisseli, que finaliza. Salvadora, Naná trava e, após confusão, a sobra é de Fabi, que dispara em velocidade. Como fizera Pri Back mais cedo, Sinara dá um pontapé na colorada e recebe o amarelo.

28min – GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL! É DO CLUBE DO POVO, É DA ACADEMIA DO POVO, É DAS COLORADAS QUE TANTO ALEGRAM NOSSO CORAÇÃO! DJENI, DJENI, DJENI! Mari Pires serve excelente passe em profundidade para Rafa Travalão, que vai ao fundo pela esquerda e levanta com açúcar, carinho, esmero, na entrada da área pequena gremista. Elemento surpresa, Djeni Becker aparece livre, leve e solta e manda um testaço para as redes. AS GURIAS ESTÃO NA FRENTE!

42min – Djeni recebe o amarelo por conter contra-ataque gremista.

45min – Vamos até 48. Mais três.

47min – Devido a tempo de paralisação para atendimento de Naná, Vuaden acrescenta mais um minuto aos acréscimos. Vamos a 49.

49min – Intervalo de partida. Vitória parcial do Clube do Povo!

Mari Pires foi fundamental na jogada do primeiro gol/Foto: Mariana Capra, Internacional

Segundo tempo

0min – Gurias Coloradas retornam com novidade. Julia entra na vaga de Mari.

7min – NA TRAVE! Naná desarma Sinara, dispara pela esquerda, vai ao fundo e cruza rasteiro. O montinho artilheiro atrapalha, e Lorena quase manda contra o próprio patrimônio.

8min – SALVA, LORENA! Ana Alice é entortada por Shashá que, dentro da área, finaliza colocado, de canhota. Defende a goleira.

8min – GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL! GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL! É DO INTERNACIONAL! É DO CLUBE DO POVO! É DAS GURIAS COLORADAS! É DA MINHA 9, QUE É ARTILHEIRA E BRABA! Julia aciona Byanca Brasil. Inteligente, a centroavante, que caía pela esquerda, invade a grande área e chuta cruzado. O arremate é travado, mas a craque alvirrubra fica com a sobra, deixa a zagueira no chão e, de frente para a meta, manda no ângulo. Golaço!

12min – NO TRAVESSÃO! Shashá dispara pela direita, supera Rebeca e, rente à linha de fundo, cruza fechado. A bola explode no poste superior e sai em tiro de meta para as rivais.

16min – Muda o Grêmio. Entra Ju Oliveira, sai Rebeca.

17min – NANÁÁÁÁÁ! Cruzamento de Eudimila vem da direita. Na segunda trave, Ju Oliveira cabeceia e a bola toma o caminho das redes vermelhas. Em cima da linha, a camisa 20 colorada, de novo, afasta e impede o tento gremista.

20min – Maurício Salgado promove nova alteração. Entra Leidi, sai Rafa Travalão. Fabi Simões é adiantada para a linha de frente.

23min – Parada técnica. Que calor em Cachoeirinha!

25min – Retomada a partida.

28min – Muda o Grêmio. Vem Yasmim, sai Jane Tavares.

31min – Bruninha entra no Inter. Sai Naná.

34min – Ju cruza, pela direita, com muita direção. Na esquerda da grande área gremista, Bruninha aparece no vazio e finaliza de direita. Teimosa, a bola sai pela linha de fundo.

Ju Ferreira, protetora da zaga colorada/Foto: Mariana Capra, Internacional

37min – Dupla troca no Grêmio. Ana Alice por Mayara, Mariza por Tefa.

39min – Marta recebe pela direita, corta para a canhota e finaliza rasteiro. Kemelli defende!

39min – Pênalti para o Grêmio. Djeni em Sinara.

40min – Pri Back converte a cobrança.

41min – No Inter, sai Byanca. Quem vem é Jheniffer.

45min – Seis de acréscimos. Vamos até 51.

46min – LORENA! Djeni cobra falta pela esquerda. Na grande área, Sorriso desvia de puxeta e, por detalhe, não amplia.

48min – PRA FOOORA! Ju pega a sobra de corte parcial da zaga adversária e, com o pé direito, manda rasteira. A bola sai tirando tinta.

50min – MEU DEUS! SERIA UMA PINTURA! Da altura do meio de campo, Djeni manda uma bomba de direita. A bola encobre Lorena, mas sai raspando no poste superior.

51min – ACABOU! CAMPEÃS! CAMPEÃS! CAMPEÃS! É O CLUBE DO POVO! SÃO AS GURIAS COLORADAS! É PRECISO RESPEITAR ESSA CAMISA, ESSA TRADIÇÃO, ESSA HISTÓRIA! QUEM MANDA NO RIO GRANDE SÃO AS GURIAS DO POVO!


Ficha técnica:

Internacional (2): Kemelli; Fabi Simões, Bruna Benites, Sorriso e Naná (Bruninha); Ju Ferreira, Djeni e Mari Pires (Julia); Shashá, Byanca Brasil (Jheniffer) e Rafa Travalão (Leidi). Técnico: Maurício Salgado.

Grêmio (1): Lorena; Sinara, Ana Alice (Mayara), Andressa e Rebeca (Ju Oliveira); Mariza (Tefa), Pri Back, Eudimilla e Jane Tavares (Yasmim); Gisseli e Marta. Técnica: Patrícia Gusmão.

Gols: Djeni Becker, aos 28 minutos do primeiro tempo, e Byanca Brasil, aos 8 minutos do segundo (I). Pri Back, aos 40 minutos do segundo tempo (G).

Cartões amarelos: Bruna Benites e Djeni (I). Pri Back e Sinara (G).

Arbitragem: Leandro Pedro Vuaden, auxiliado por Luiza Naujorks Reis e Maíra Mastella Moreira.

Estádio: Arena Cruzeiro.

Gurias Coloradas Sub-16 são campeãs da Libertadores

A América é nossa! As Gurias do Sub-16 são as novas campeãs da Libertadores. O Clube do Povo derrotou o Liverpool-URU neste domingo (02/02) em Luque, no Paraguai levantando a taça da competição. De quebra, a equipe colorada ainda levou as premiações individuais de melhor jogadora, com a camisa 10 Milena, e de melhor goleira, pela número 1 Gabriela.

Em uma partida intensa, os gols do título foram anotados por Maki, Bia e Alessandra na vitória por 3 a 0. E o placar não demorou para abrir, logo aos 5min após uma cobrança de falta para a área, Maki empurrou a bola para o fundo da rede. Já aos 25min da etapa complementar, Bia Gomes percorreu todo o gramado até finalizar marcando um golaço e ampliando o placar para o Clube do Povo. Já nos acréscimos, Alessandra acertou um chute de fora de área completando o resultado.

Reelembre a campanha Colorada

As Gurias realizaram um grande triunfo nesta competição. Alem de saírem como líderes do Grupo B, ao todo foram 4 vitórias e um empate, com 12 gols convertidos contra apenas 2 sofridos. O Clube do Povo superou 4 adversários: Liverpool-URU, Seleção Antioquia-COL, Colo-Colo-CHI e o Guarani de Fortuna-PAR. Além disso, as gurias já haviam levantado a taça da Liga de Desenvolvimento CONMEBOL na etapa nacional. Agora, o colorado está classificado para a Copa Disney, o Mundial da categoria, que reúne os classificados de cada continente em Orlando, nos Estados Unidos.