Vídeo: arte colorada no viaduto da Conceição

Está finalizada a revitalização das pilastras da elevada da Conceição. Ao longo da última semana, o Inter convocou o artista Alan Vieira para grafitar a região com artes que retratam a história dos Eucaliptos, do antigo Beira-Rio e do atual Gigante. O trabalho ainda conta com homenagens aos ídolos Carlitos, Tesourinha e Falcão. Te liga no resultado final!

> Saiba mais sobre a ação

A estreia de uma lenda: há 82 anos surgia Carlitos

Há 82 anos iniciava uma das mais belas histórias de amor do futebol gaúcho. Pela primeira vez, a lenda Carlitos entrava em campo pelo Clube do Povo. Simplesmente o maior artilheiro colorado de todos os tempos e, também, do Rio Grande do Sul, fez sua estreia no dia 22 de maio de 1938, iniciando uma saga que marcaria o futebol gaúcho para sempre.

Seria apenas mais um amistoso, caso não fosse a estreia de uma das maiores lendas coloradas. Em partida disputada no Campo da Montanha, onde hoje está o Hospital Militar, no alto da Avenida Cristóvão Colombo, bairro Floresta, o Inter goleou o São José-POA por 4 a 0 – gols de Levi, Sylvio Pirillo e Miguel (2x).

O técnico Abrahão Fernandes Bouças mandou a campo uma equipe com Júlio Petersen; Pércio e Risada; Giordani, Osvaldo Brandão e Levi; Benjamin, Rui Motorzinho, Sylvio Pirillo, Miguel e Castillo. No segundo tempo, ingressaram Plass, Quaixa, Acácio e ele, Carlitos. O jovem porto-alegrense vivia o sonho de estrear pelo time do seu coração.

Com forte apoio popular, o Clube do Povo crescia a passos largos nesta época. Jovens como ele vinham da várzea e ligas humildes, como a da Canela Preta, para formar um time que faria história na década seguinte. Começava a surgir o mítico Rolo Compressor! E aquele guri da zona sul seria decisivo.

Goleador implacável, tornou-se o maior artilheiro do Inter, do Gre-Nal e do futebol gaúcho de todos os tempos – recorde que perdura até hoje. Entre seus 485 gols, reservou 42 deles só para o clássico, seu jogo preferido. Frio e calculista, marcou 101 gols a mais do que o número de jogos que disputou e jamais desperdiçou um único pênalti.

Ao lado de Tesourinha, Nena, Adãozinho e outros craques, levou o Inter à hegemonia, ainda vigente, no Gre-Nal e no Gauchão – título que conquistou nada menos que 10 vezes. Se tornou ícone de um time lendário que redefiniu o futebol do Sul do Brasil: o famoso Rolo Compressor.

Eterno romântico, dedicou uma vida ao Colorado e jamais trocou de time, se mantendo no Clube do Povo do começo ao fim de sua carreira. Seu amor chegou ao ponto de batizar três filhos com a letra inicial do Inter: Ivan, Iran e Irany. Ao mesmo tempo, foi um especialista na arte de provocar defensores e armadilhas para os goleiros adversários.

Herói e protagonista de um romance sem fim. Homem que viveu um amor autêntico e correspondido, com aroma de Eucaliptos e sabor de gol. Muitos gols. Carlitos, o ‘Homem-Goal’, terá seu lugar eternamente marcado na história colorada.