Bastidores: América de Cali 0x0 Inter

Colorado encarou jornada na Colômbia pela penúltima rodada do Grupo E da Libertadores e conquistou um ponto que o deixa a um empate da classificação às oitavas. Confira os bastidores da partida com exclusividade no Canal do Inter!

Placar zerado em Cali

O Colorado empatou sem gols com o América de Cali, nesta terça-feira (29/09), em partida da quinta rodada da fase de grupos da Libertadores. Na Colômbia, o Clube do Povo atuou por mais de 35 minutos com um jogador a menos, consequência da expulsão de Leandro Fernández, mas soube segurar o time da casa para chegar aos oito pontos na chave E. Agora, os comandados de Coudet voltam as atenções para o Brasileirão, campeonato pelo qual visitam, neste sábado (03/10), o Grêmio, às 17h.


Mesma postura, mesmo placar

Inter e América de Cali entraram em campo dispostos a conquistar os três pontos. No lugar de uma etapa inicial de grandes oportunidades, contudo, os 45 minutos iniciais transcorreram de maneira excessivamente truncada, com os dois ataques anulados na mesma medida – à exceção de raras escapadas construídas pelos lados do campo.

Também pela perda de Saravia, que deixou o campo logo aos 10, lesionado, o Clube do Povo criou suas principais chances em movimentações pela esquerda, flanco marcado por grande entrosamento de Patrick e Galhardo. Trama alguma, porém, foi capaz de alterar o marcador, que seguiu inalterado até a descida das equipes para o vestiário.


Inferioridade numérica, superação no campo

Com a entrada de Boschilia na vaga de Praxedes, o Clube do Povo retornou a campo disposto a aumentar o volume ofensivo, e passou a ocupar o campo de ataque de maneira ainda mais intensa. Aos 13 minutos, porém, Leandro Fernández recebeu o vermelho, deixando o Inter com um a menos. A inferioridade numérica encontrou resposta no brio alvirrubro, presente nos 10 atletas que restaram no relvado, capazes de estacionar o ataque colombiano e, inclusive, criar bons contra-ataques, que por pouco não resultaram no tento da vitória. Bem encaminhado na tabela, o Colorado jogará por empate, no dia 22 de outubro, em solo chileno, diante da Universidad Católica.


Melhores momentos – primeiro tempo

0min – JÁ AMARELOU! Primeiro amarelo do jogo para Luis Paz, que acerta carrinho violento em Nonato. Falta para o Inter.

1min – UUUH! Chega bem o Inter pela direita! Praxedes cruza rasteiro buscando Galhardo, mas Graterol deixa o gol e encaixa, seguro.

9min – LOMBA! Sierra invade a área brasileira pela esquerda e manda chute forte com a canhota. Seguro o goleiro colorado!

11min – Muda o Inter. Combalido, Saravia dá lugar a Heitor.

15min – UHH! Patrick toma a bola no campo ofensivo e aciona Galhardo. Camisa 17 tenta a devolução para o Pantera, mas a marcação consegue corte providencial.

25min – Graterol! Lindoso oferece linda fatiada, invertendo da esquerda para a ponta direita. Heitor invade a área em velocidade e, de primeira, desvia para o gol. Arqueiro rival encaixa.

37min – GALHARDO! Camisa 17 colorado recompõe com autoridade e, na intermediária defensiva, acerta lindo carrinho para retomar a posse. Atacante desliza no encharcado gramado, afinal de contas, muito chove em Cali neste instante.

42min – Escanteio cobrado pelo América. Bola vem da direita rasante, à meia-altura. Moledo voa na direção da redonda e afasta pela linha de fundo.

45min – UH! Inter chega pela esquerda com Patrick, que cruza buscando Galhardo. Na altura da marca do pênalti, a bola é parcialmente cortada pela defesa. Rebote é de Heitor, que domina e solta a bomba de direita. Zaga bloqueia e afasta definitivamente o perigo.


Segundo tempo

0min – Inter de volta com alterações. Entra Boschilia, sai Praxedes.

5min – Seguro, Moledo! Sierra cobra falta fechada, em direção ao gol rival. Camisa 4 colorado interrompe a trajetória da bola e afasta em escanteio.

7min – Amarelados Leandro Fernández e Velasco.

8min – SAAAAAAAAAAAAAAALVA GRATEROL! Pela esquerda da intermediária, Leandro Fernández cobra falta com muito efeito. Venenosa, a bola quase encobre o arqueiro rival, que opera um milagre de mão trocada.

13min – Leandro Fernández expulso. Vermelho apresentado após confusão com Marlon Torres.

15min – Muda Juan Cruz Real. Luis Paz dá lugar a Jaramillo.

16min – LOOOOOOMBA! Adrián Ramos antecipa Moledo e cabeceia de acordo com o manual, para baixo. Goleiro colorado voa para defender. No rebote, Arias manda pela linha de fundo.

16min – Muda Coudet. Musto entra na vaga de Nonato. Inter, agora, adota duas linhas de quatro, tratando de escassear os espaços colombianos.

21min – Arias sai, Cabrera entra. Troca, uma vez mais, o time da casa.

27min – QUASE! Boschilia cobra falta sofrida por Galhardo na intermediária ofensiva. Direta, a finalização buscava o canto direito, mas é encaixada por Graterol, que quase cruza a linha fatal com bola e tudo.

31min – POR CIIIIIMA! Léo Borges lança Galhardo, que domina na meia-lua, prende a marcação e solta em Patrick, pela esquerda. Pantera invade a área e solta o canhotaço, que supera o travessão. Grande trama!

32min – Que tabela! Galhardo serve Patrick, uma vez mais, que dispara em direção à grande área. Espirrada na dividida com Torres, último homem colombiano, ela fica com Graterol.

32min – Mudanças de dois lados. Abel por Galhardo, no Inter. Moreno na vaga de Batalla, de lado colombiano.

34min – Sierra serve Moreno, que invade a área colorada pela direita e solta a bomba. Desviada a Moledo, a bola explode no travessão e sai em escanteio. Placar segue inalterado.

39min – Moledo recebe o amarelo por falta em Carrascal.

45min – Vamos a 50. Mais cinco.

47min – Carrascal recebe o amarelo por reclamação.

50min – Partida encerrada no Pascual Guerrero.


Ficha técnica:

América de Cali (0): Joel Graterol; Rodrigo Ureña, Marlon Torres, Juan Pablo Segovia e Edwin Velasco; Luis Paz (Felipe Jaramillo), Rafael Carrascal e Carlos Sierra; Jhon Arias (Yesus Cabrera), Adrián Ramos e Enmerson Batalla (Santiago Moreno). Técnico: Juan Cruz Real.

Internacional (0): Marcelo Lomba; Renzo Saravia (Heitor), Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Léo Borges; Rodrigo Lindoso, Bruno Praxedes (Gabriel Boschilia), Nonato (Damián Musto) e Patrick; Thiago Galhardo (Abel Hernández) e Leandro Fernández. Técnico: Eduardo Coudet.

Cartões amarelos: Luis Paz e Velasco (A). Rodrigo Moledo e Leandro Fernández (I).

Cartão vermelho: Leandro Fernández (I).

Arbitragem: Guillero Guerrero (EQU) auxiliado por Byron Romero (EQU) e Luis Murillo (VEN). Quarto árbitro: Jesus Valenzuela (VEN).

Estádio: Olímpico Pascual Guerrero, Cali-COL.

Galeria de fotos: América de Cali 0x0 Inter

Colorado encarou desafio na Colômbia pela penúltima rodada da fase classificatória da Libertadores

Colorado faz atividade em Cali antes de duelo pela Libertadores

A delegação colorada chegou a Cáli, na Colômbia, na noite deste domingo (28/08), após uma viagem de oito horas, para encarar o próximo desafio na Copa Libertadores da América. E na tarde desta segunda-feira (28/09), o treinador Eduardo Coudet comandou em solo colombiano o último treinamento da equipe.

Líder do grupo E com sete pontos, o Clube do Povo enfrenta o América de Cáli, nesta terça-feira (30/09), às 21h30 (horário de Brasília), no estádio Pascual Guerrero. A atividade que encerrou a preparação colorada foi feita no CT do Deportivo Cali, outro grande clube da cidade. Coudet realizou um trabalho tático para definir o time que entrará em campo.

Sem poder contar com Edenilson e Moisés, suspensos na competição continental, além de Rodinei, Uendel e Pedro Henrique que estão afastados com Covid-19, o treinador pode ter à disposição atletas que estavam fora. Casos de Patrick, Johnny, Peglow e William Pottker.

Há duas semanas, Inter e América de Cáli se enfrentaram no estádio Beira-Rio. O Colorado venceu por 4 a 3. Agora, uma vitória pode classificar o Inter para as oitavas de final da Libertadores. A Rádio Colorada e as redes sociais do Clube acompanham todos os detalhes da partida em tempo real.

O mais colombiano dos sacis

Originária das tribos indígenas localizadas no sul do Brasil, com destaque para a Região das Missões, a história do Saci narra um menino negro e brincalhão que adora pregar peças para enganar aqueles que cruzam o seu caminho. Reza a lenda que, para aprisionar o jovem do gorro vermelho, a pessoa deve arremessar uma peneira nos redemoinhos de vento deixados pelo sagaz perneta quando este se prepara para aprontar alguma de suas travessuras. Na sequência, para garantir que ele não voltaria a incomodar, seria necessário retirar-lhe o gorro e aprisioná-lo numa garrafa. Sorte a do Inter que esta parte do folclore brasileiro não parece ser muito conhecida no Uruguai. Pelo menos, foi esta a impressão deixada pelos milhares de charruas que se aglomeraram no Parque Central na noite de 27 de abril de 2006, há exatos 14 anos.

É bem verdade que na última vez que Inter e Nacional haviam se enfrentado antes de 2006 os uruguaios levaram a melhor. O que não os torna especialistas na cultura brazuca, uma vez que a derrota colorada na decisão de 1980 poderia muito bem ter passado por limitações do elenco vermelho. Limitações estas não técnicas, considerando que boa parte do grupo tricampeão brasileiro invicto seguia no Beira-Rio, mas, sim, culturais. Talvez faltasse àquele time, que parecia jogar por música, outros ritmos latinos mais acostumados à Libertadores do que a cultura brasileira, e que, misturados a esta, fariam aflorar todo o potencial de nossos costumes. Poderia, por exemplo, ser o caso do tango argentino, ou a milonga uruguaia. No confronto do século XXI, entretanto, o destino mostrou que estilo algum poderia ser melhor do que o tipo colombiano do ruque-raque, tão bem dançado por Rentería.

Wason Libardo Rentería Cuesta nasceu na cidade de Quidbó, localizada na região mais carente da Colômbia. Após se destacar vestindo a camisa do Boyacá Chicó, o atacante foi anunciado como reforço colorado em setembro de 2005, aos vinte anos de idade. Um dos destaques do Inter no segundo turno da histórica campanha no Brasileirão, encerrou a temporada com grande moral junto à torcida, principalmente por conta dos muitos gols decisivos que marcara. Foi em 2006, contudo, que a simpatia entre jogador e arquibancada evoluiu para uma verdadeira idolatria.

Gol vs Fluminense
Gol vs Coritiba
Gol vs Palmeiras

Em 2005, o atacante até já havia comemorado gols imitando o mascote colorado, segurando sua perna esquerda e saltando num pé só em frente às arquibancadas. Nada comparado ao que fez no dia 26 de março do ano seguinte, quando, após marcar o quarto gol do Inter na goleada de 6 a 2 sobre o São José, vestiu um gorro vermelho e colocou um cachimbo na boca, saltando apenas com a perna direita na direção da incrédula torcida. Deste momento em diante, as figuras de Rentería e do Saci passaram a ser indissociáveis no imaginário da Maior e Melhor Torcida do Rio Grande.

Rentería comemora, no Passo D’Areia, vestido de Saci

Ao mesmo tempo em que cativava por seu carisma, Rentería tinha participação destacada na fase de grupos da Libertadores. Segunda melhor campanha da fase de grupos, o Clube do Povo avançou para os confrontos eliminatórios com autoridade. No chaveamento, o colombiano brilhou contra o Pumas, no México, onde marcou um gol e deu assistência para outro na vitória do Inter por 2 a 1, de virada, e Maracaibo, equipe venezuelana derrotada por 4 a 0 no Beira-Rio, em partida que também contou com um tento e um passe para gol do atacante colombiano. Momentos que, embora grandiosos, em nada são comparáveis ao que estava por vir.

O adversário colorado nas oitavas foi o Nacional do Uruguai, equipe que já havia enfrentado o Inter na fase de grupos, quando foi derrotada pelo Clube do Povo por 3 a 0 no Beira-Rio, além de empate sem gols na capital uruguaia. Se as lembranças mais recentes se mostravam positivas, porém, a torcida vermelha não conseguia esquecer do traumático vice-campeonato da América em 1980, estando, portanto, receosa quanto ao confronto. Mesmo assim, mais de mil colorados e coloradas se deslocaram até Montevidéu para apoiar a equipe gaúcha na partida de ida.

Após um início de jogo aberto, com boas chances para as duas equipes, o Nacional abriu o placar com Vanzini, em forte cabeceio que Clemer não conseguiu defender. Apesar do placar adverso, o Inter não perdeu a calma depois do gol sofrido, e teve sua maturidade recompensada aos 45 minutos, quando Fabinho foi derrubado a centímetros da área adversária. Embora câmera alguma tenha flagrado, certamente o goleiro Bava rezava enquanto o árbitro contava os passos da barreira, sabendo que, em se tratando de Alex e Jorge Wagner, os dois atletas colorados que se preparavam para a batida, dificilmente teria chance de fazer a defesa – como de fato não teve. Em excelente cobrança, Jorge colocou a bola no ângulo, enquanto o goleiro uruguaio, ajoelhado, apenas lamentava a vantagem perdida. Fim de primeiro tempo, e o 1 a 1 no placar se mostrava muito interessante para a equipe gaúcha.

Até o momento, a campanha do Inter na Libertadores contava com aproveitamento de 100% nos jogos disputados no Beira-Rio, número construído através de dez gols marcados em apenas três partidas disputadas. Assim, um empate com gol marcado fora de casa parecia ser um resultado excelente. Abel, contudo, não pensou assim, e voltou do intervalo com novidades no ataque: no lugar de Rafael Sobis, entrou Rentería. Antes mesmo de completar trinta segundos em campo, o atacante colombiano já deu trabalho para a defesa uruguaia em perigoso chute com a perna esquerda, que passou perto do travessão. Assustada com o bom começo colorado, a torcida da casa atirou uma bomba na direção de Clemer, que precisou ser atendido por mais de dois minutos para então ser liberado a seguir em campo.

Apesar da pressão e violência dos torcedores locais, o Inter não se assustou, e seguiu chegando com perigo ao ataque. A substituição de Abel se mostrava acertada, com Rentería incomodando a zaga adversária. O atacante colorado estava à vontade, criando boas jogadas junto a Fernandão e Gabiru, flutuando entre os irritados defensores charruas que pareciam não saber como parar o saci.

Imparável Rentería

Foi assim que, aos 18 minutos, o gol da virada chegou. Após interceptar cruzamento em sua área, Clemer repôs rapidamente, lançando Fernandão. A zaga do Nacional afastou parcialmente, mas a bola voltou para o Eterno Capitão colorado, que de cabeça ofereceu precisa escorada para Rentería. Já no seu primeiro toque na bola, com o pé direito, o atacante colombiano, solidário na fria noite de Montevidéu, superou o zagueiro Pallas dando-lhe um lençol. A bola caiu na entrada da área, à feição para a perna canhota do saci, que enquadrou o corpo e soltou uma bomba. Nesta, Bava até pulou, mas nem precisava. Preciso, o chute do camisa dezenove do Inter encobriu o goleiro para morrer no canto esquerdo da meta uruguaia. Golaço. Antológico. Epopeico.

Emoldurando a obra de arte que acabara de ser produzida pelo artilheiro colorado, surgia uma bandeira da Colômbia no meio da enlouquecida multidão que lotava o setor visitante. Por um momento, a América inteira reverenciava a genialidade do garoto nascido em Quidbó, e ele decidiu homenagear suas raízes, festejando o gol não com a fantasia de Saci, e sim com sua outra comemoração tradicional, o ruque-raque, dança que mistura a salsa com o ritmo da música das bruxas, crença muito presente na sua cidade de origem. Ao seu lado, boquiaberto com o que vivenciava, Fernandão apenas sorria, admirando a felicidade no rosto do menino Rentería.

De maneira estapafúrdia, o árbitro Ruiz Óscar Julián puniu Rentería com um cartão amarelo. Provavelmente Julián conhecesse a lenda do Saci, mas não por completo. Assim, pensando que o cartão poderia servir como uma peneira, advertiu o atacante pela travessura que ele pregara na casa dos outros. Não bastasse prejudicar o camisa dezenove do Inter, poucos minutos depois o árbitro voltou a amarelar o goleador colorado, desta vez por obstruir cobrança de bola parada do time uruguaio. Assim, o herói da noite saiu de campo expulso e exposto para uma torcida sedenta, disposta a fazer o saci pagar por tudo que aprontara. Objetos foram arremessados, e o atacante somente deixou o gramado, com o olho visivelmente machucado, após o policiamento intervir, inclusive isolando os perturbados torcedores da cerca da arquibancada.

Se engana, no entanto, quem pensa que o desconforto do Nacional passou depois da injusta expulsão e das barbáries cometidas por sua torcida. Em publicação no site do clube charrua ao fim da partida, Rentería era chamado de fanfarrão e palhaço, e sua mal-interpretada comemoração, condenada. O único ponto de lucidez na infeliz nota foi o tom aparentemente conformista quanto à provável eliminação, resultado confirmado na semana seguinte após empate sem gols que garantiu a classificação do Inter, conquistada graças ao folclore brasileiro, e colombiano, que exorcizou da história colorada um fantasma uruguaio. O sonho do título seguia cada vez mais vivo.

Folclórico e habilidoso Saci Rentería

Pacote de viagem para América de Cali x Inter, na Colômbia

Primeiros consulados do Inter são criados na Colômbia

Buscando garantir uma vaga na fase de grupos da Conmebol Libertadores de 2020, o Inter viajou até a Colômbia para, na noite de quarta-feira (19/02), enfrentar o Tolima na cidade de Ibagué, distante cerca de 200 quilômetros da capital Bogotá.

Antes de mesmo de a partida ser iniciada, no entanto, o Clube do Povo já garantira importante vitória fora de campo. Isto porque durante a movimentação colorada que antecedeu a partida, o Relacionamento Social formou os primeiros quatro consulados no país vizinho. As cidades e os novos representantes do Clube do Povo são, respectivamente, Ibagué – Caroline Wolker, Bogotá – Luiz Mello, Chía – Luciano Guimarães, e Medellín – Roberta Falleiro. Com estes acréscimo, o número de consulados alvirrubros no exterior chega a 94 unidades.

Inter empata com o Tolima na Colômbia

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é DDSC_0286.jpg

Os primeiros 90 minutos já foram. O Clube do Povo visitou, nesta quarta-feira (19/02), o Tolima, em partida de abertura da terceira fase preliminar da Libertadores. Iniciado às 21h30 na cidade colombiana de Ibagué, o confronto foi finalizado sem gols. Com o resultado, o Inter, que criou as melhores chances no duelo, agora joga, na próxima semana, por vitória de qualquer escore para ficar com a vaga na fase de grupos da competição.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é IMG_8087.jpg

Não existe palavra capaz de definir com maior precisão a primeira etapa do duelo entre Inter e Tolima do que velocidade. Extremamente corrida, a partida teve seus 45 minutos iniciais marcados por ritmo acelerado, em grande parte consequência do acidentado gramado do Estádio Manuel Murillo Toro, relvado capaz, inclusive, de comprometer o nível técnico do embate. Bastante parelho, o primeiro tempo viu as duas equipes criarem boas oportunidades. Enquanto os mandantes levaram perigo explorando o lado esquerdo, ora com Campaz, ora através das escapadas de Estuiñán, o Clube do Povo soube assustar a partir das aproximações de Boschilia e Edenilson com Guerrero. Na melhor chance, logo aos dois minutos, o camisa 21 colorado exigiu grande defesa de Montero.

De sua parte, o segundo tempo esteve marcado por maior domínio colorado. Ocupando o campo de ataque, o Clube do Povo se permitiu adiantar as linhas e causar maior desconforto aos colombianos, rodando a bola de um lado ao outro do setor ofensivo e colocando a defesa adversária para trabalhar. Ao mesmo tempo, o Tolima passou a apostar nos contra-ataques em velocidade, tentando tirar proveito de possíveis erros alvirrubros para criar sua chances. Nenhuma oportunidade, contudo, foi convertida em gols, assim finalizando o embate com o marcador zerado.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é XDSC_0339.jpg

O Clube do Povo volta a campo na próxima quarta-feira (26/02), quando recebe o Tolima para a disputa dos finais 90 minutos da terceira fase preliminar da Libertadores. Para avançar, o Colorado joga por vitória de qualquer escore. Novo empate sem gols leva a decisão para as penalidades, enquanto os demais resultados têm como consequência a classificação colombiana. Fundamental para as pretensões alvirrubras na temporada, a jornada já conta com serviço de jogo aberto e Check-In liberado, enquanto a comercialização de entradas será iniciada, para sócios, nesta sexta (21/02). Clique aqui para confirmar sua presença. Contamos com teu apoio, povo vermelho. Vamos juntos, em busca dos grupos do continente. Vamo, Inter!

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é xDSC_7560.jpg

Confira os melhores momentos do confronto:

Primeiro tempo:

2min – UHHHHHHHHHHHHH! Boschilia tabela com Edenilson na entrada da área colombiana, recebe à feição, ajeita para a canhota e solta um petardo. Montero voa no ângulo e dá um tapa, mandando em escanteio.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é ADSC_9932.jpg

3min – PRA FOOORA! Escanteio cobrado da direita na cabeça de Guerrero, que cabeceia consciente entre dois marcadores. Ela tira tinta da trave esquerda dos colombianos.

6min – Cuesta leva o amarelo por falta em Estuiñán.

10min – BOA TRAMA! Linda triangulação do ataque colorado pela esquerda. Uendel, Boschilia e Musto botam a zaga colombiana para correr, rodando a bola em toques rápidos, de primeira. Do camisa 6 ela chega em Guerrero, que armava o chute. Antes do arremate, contudo, a arbitragem para o lance indicando impedimento.



13min – Uh! Da intermediária, Boschilia cobra falta direto para o gol. A bola sai ao lado da meta mandante.

16min – SAAAAAAAAAAALVA A ZAGA! Edenilson arranca em grande contra-ataque e tenta passe para Marcos Guilherme. A assistência ficaria na medida para o camisa 23, mas Moya consegue cortar em carrinho providencial.

22min – SAAAAALVA MONTERO! Guerrero recebe bom passe na entrada da área, corta para a direita e bate colocado. Ela chega viva às mãos do goleiro, que encaixa.



23min – BOA ESCAPADA! Edenilson lança Marcos Guilherme na direta. Em velocidade, o camisa 23 dispara, vai ao fundo e cruza. Forte demais, a bola atravessa toda a extensão da área, levando muito perigo.



26min – LOMBA! Estupiñán chama Gordillo pela esquerda. O camisa 6 vai ao fundo e cruza rasteiro. Goleiro colorado deixa a meta e fica com ela.

35min – Campaz avança pelo meio e solta chute forte de fora da área. À esquerda de Lomba, a bola sai em tiro de meta, levando grande perigo.

36min – Nada? Tolima tem escanteio cobrado pela direita do ataque. Fechada, a bola vai na direção de Lomba, que afasta de soco. Logo após cortar a bola, goleiro colorado leva cotovelaço de Estupiñán. Árbitro assinala falta, mas não apresenta cartão.

40min – CORTA A ZAGA! Edenilson vira o jogo para Guerrero, na entrada da área pela esquerda. O peruano domina, ajeita e cruza na segunda trave, buscando Marcos Guilherme. Antes dele, aparece, preciso, Quiñónes, afastando de cabeça.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é DDSC_0147-1152x768.jpg

45min – Vamos a 47. Mais dois.

46min – LINDOSO! Tolima desce com perigo pela esquerda. Campaz vai ao fundo e cruza rasteiro, para trás. Viva, a bola chega na marca do pênalti, onde encontra o pé direito de Lindoso, preciso para afastar o perigo.



46min – Lomba! Campaz, de novo ele, invade a área pela esquerda e chuta. Goleiro colorado faz a defesa.

47min – Encerrado o primeiro tempo.

Segundo tempo:

5min – Por falta em Musto, Gordillo leva o amarelo.

7min – UHHHHHHHH! Marcos Guilherme recebe de Guerrero, avança e chuta buscando o canto esquerdo. Desviada, a bola sai ao lado da meta colombiana. Quase o gol colorado!

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é CDSC_0131-1.jpg

10min – Desviada! Boschilia avança pela esquerda e arrisca. A bola desvia na marcação e vai pela linha de fundo.

12min – UH! Uendel cruza de três dados da esquerda, buscando Guerrero. Antes dele, Quiñónez afasta. Ela chegava na medida para o peruano…



12min – No Tolima, a primeira troca da partida. Vem Miranda, sai Estupiñán.

17min – FUUUUUUUUUCHS! Rodríguez intercepta troca de passes colorada na intermediária de defesa e dispara em muita velocidade. No mano a mano contra Cuesta, o camisa 9 chega às cercanias da área alvirrubra e deixa com Gordillo, que chegaria de frente para o gol, mas é precisamente travado pelo camisa 3 do Clube do Povo, em carrinho salvador. Escanteio para os mandantes.



18min – LOMBA! Após desvio de Quiñónez, a sequência do escanteio fica disputada na grande área entre o zagueiro colombiano e Cuesta. Espirrada, a bola parte em direção ao gol alvirrubro. Atento, o goleiro colorado encaixa.

22min – Coudet promove a primeira substituição no Clube do Povo. D’Alessandro entra na vaga de Marcos Guilherme. Argentino vem para a sua 85ª partida de Libertadores, assim tornando-se o atleta de seu país com mais jogos disputados na competição. Parabéns, D’Ale!



27min – No Tolima, sai Albornoz, entra Cataño.

30min – Equipe da casa realiza sua terceira e última mudança. Rodríguez dá lugar a Rojas.

38min – Bruno Fuchs leva o cartão por falta em Miranda.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é ADSC_9921.jpg

45min – Bem, Lomba! Como um líbero, goleiro colorado deixa a meta e vai até a meia-lua da grande área para cortar lançamento que buscava Rojas.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é XDSC_0345.jpg

45min – Vamos a 49. Mais quatro!

46min – SAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAALVA MONTERO! D’Alessandro abre o jogo para Boschilia, na esquerda. O camisa 21 domina pela intermediária, bota na frente e solta a bomba rasteira. Viva, a bola chega quicando na pequena área, com endereço no canto da meta colombiana. Goleiro da casa voa para fazer a defesa!

46min – PRA FOOOOOORA! Após cobrança de D’Alessandro pela esquerda, a bola fica viva na entrada da área. Guerrero arrisca, a redonda explode na zaga e volta com Fuchs, que bate colocado buscando o canto. Ela desvia na zaga e sai tirando tinta da trave esquerda. Quase o gol do Inter…



49min – Encerrada a partida.

Ficha técnica:

Deportes Tolima (0): Montero; Castrllón, Quiñónes, Moya e Banguero; Robles, Gordillo e Albornoz (Cataño); Capaz, Estupiñán (Miranda) e Francisco Rodríguez (Rojas). Técnico: Hernán Torres.

Internacional (0): Marcelo Lomba; Rodinei, Bruno Fuchs, Victor Cuesta e Moisés; Musto; Edenilson, Rodrigo Lindoso e Boschilia; Marcos Guilherme (D’Alessandro) e Guerrero. Técnico: Eduardo Coudet.

Cartões amarelos: Victor Cuesta e Bruno Fuchs (I). Gordillo (D).

Arbitragem: Roberto Tobar apita, auxiliado por Alejandro Molina e Claudio Urrutia. Quarto árbitro: Cristian Garay. Quarteto chileno.

Local: Estádio Manuel Murillo Toro.

Diretorias de Inter e Tolima confraternizam na Colômbia

Presidentes das equipes trocaram camisetas no jantar

Antes da bola rolar para a partida decisiva entre Inter e Tolima na Copa Libertadores da América, as duas diretorias confraternizaram em Ibagué, cidade colombiana, na noite desta terça-feira (18/02), a convite do time da casa. O jogo entre gaúchos e colombianos será um grande evento para a cidade, que demonstrou todo o carinho e respeito pelo Clube colorado no jantar oferecido. Representantes da prefeitura e do governo estiveram presentes, além é claro, dos diretores do time mandante. 

O presidente Marcelo Medeiros destacou as boas-vindas do Tolima, agradeceu aos funcionários e representantes da cidade e projetou uma grande partida entre os dois times. “Quero agradecer a todo o povo de Tolima. Uma confraternização oferecida ao Inter, fomos muito bem recebidos. Entre várias homenagens que nos prestaram, recebemos até mesmo a chave da cidade”, destacou o presidente. O Clube do Povo foi declarado hóspede de honra da cidade e, como reconhecimento, a capital musical da Colômbia, como é conhecida Ibagué, entregou ao Inter as chaves como símbolo de carinho do acolhimento do povo ibaguerreño. 

Alessandro Barcellos, vice-presidente de futebol, João Patrício Herrmann, 2º vice-presidente e o presidente Marcelo Medeiros foram presenteados com a chave da cidade no jantar 

O Colorado também presenteou a equipe de Ibagué com camisetas do Clube, retribuindo a hospitalidade. Inter e Tolima entram em campo nesta quarta-feira (19/02), às 21h30 (horário de Brasília) para dar início ao duelo pela terceira fase preliminar da Libertadores. 

Colorado treina em Ibagué-COL antes de enfrentar o Tolima

A caminhada colorada na Copa Libertadores da América ganha mais um capítulo a partir desta quarta-feira (19/02). O Inter tem pela frente a terceira fase preliminar da competição continental. O Clube do Povo entra em campo às 21h30 (horário de Brasília), para enfrentar o Tolima-COL, no estádio Manuel Torrillo Toro, em Ibagué, valendo um lugar na fase de grupos. Com a decisão em casa, a equipe busca a vantagem em solo colombiano para se aproximar da classificação. A Rádio Colorada e as redes sociais do Clube acompanham todos os detalhes da partida em tempo real. 

A viagem para a Colômbia foi longa. Depois de muitas horas de vôo, a delegação chegou na noite de segunda-feira (17/02) a Bogotá, capital do país. Na terça-feira (18/02) pela manhã, o grupo colorado encarou mais 4h de estrada até Ibagué, cidade do adversário desta quarta. Já no turno da tarde, a comissão técnica comandou uma atividade no centro de treinamento do Tolima, fechando a preparação para o confronto. O trabalho foi mais leve e o técnico Eduardo Coudet não deu indícios de quem iniciará a partida. 

Após o Clube chegar ao interior colombiano, o meio-campista D’Alessandro concedeu entrevista coletiva no hotel que a delegação está hospeada. Com grande presença da imprensa local, o argentino falou sobre a partida e também destacou a força do time da cidade. “Uma viagem longa e cansativa, mas teremos tempo para descansar e fazer uma grande partida. Nada pode nos impedir de fazer um grande jogo.Temos que fazer um jogo inteligente e sair com um resultado positivo”, afirmou. 

Após eliminar a Universidad de Chile na fase anterior, todas as atenções coloradas estão voltadas para os dois confrontos contra o Tolima. O jogo da volta está marcado para a quarta-feira (26/02) da próxima semana, às 21h30, no Beira-Rio.