Contas coloradas são aprovadas pelo Conselho Deliberativo

A noite de quinta-feira (28) reservou uma boa notícia para os colorados: o balanço de contas foi aprovado pelo Conselho Deliberativo, após a apresentação realizada pela direção, que apontou um superávit de R$ 787 mil nos cofres colorados no período de 2021.

Entre os pontos divulgados pela direção, foram destacadas as medidas adotadas pelo Clube para chegar ao resultado positivo. A gestão controlada de custos e despesas, a otimização e melhoria dos processos em todos os âmbitos e o engajamento dos colaboradores foram apontados como fatores determinantes para que o objetivo fosse alcançado.

De acordo com os números apresentados, ao longo do ano passado, o Inter conseguiu economizar R$ 13,2 milhões em custos e despesas gerais. Além disso, investiu R$ 1,1 milhão no CT da Base, em Alvorada, R$ 1 milhão em TI, buscando se consolidar com um dos clubes mais digitais do país, obteve receita de R$ 88,3 milhões com negociações de atletas e geração de caixa de aproximadamente R$ 100 milhões.

Outro ponto destacado foi que as vendas de produtos oficiais da adidas, patrocinadora do Clube, tiveram um acréscimo de 30% em comparação ao ano anterior, principalmente alavancadas pelas camisas III (Merlot) e as desenvolvidas para datas como o Outubro Rosa e a Consciência Negra. Outro item divulgado foi que os royalties da marca alcançaram 35% a mais no mesmo período.

Os números do balanço colorado na gestão do presidente Alessandro Barcellos já haviam sido aprovados por auditores independentes que analisaram todas as demonstrações financeiras do período, comprovando e validando os dados apresentados pela atual gestão. De acordo com a BDO, “as demonstrações contábeis referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira do Sport Club Internacional em 31 de dezembro de 2021, o desempenho de suas operações e seus fluxos de caixa para o exercício findo nesta data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, aplicáveis às entidades desportivas”.

O Conselho Fiscal do Clube também já tinha corroborado os valores expostos ao Conselho Deliberativo.

Inter define medidas para enfrentar perda de receitas com paralisação dos jogos

Enquanto a bola não rola em campo, o Sport Club Internacional segue trabalhando fora dos gramados. Após a aprovação das contas de 2019, o Conselho de Gestão do clube busca soluções para o enorme desafio trazido pela paralisação causada pela Covid-19. O clube trabalha com três cenários possíveis: um mais otimista, outro moderado e um terceiro mais preocupante. A estimativa de perda de receita gira em torno de R$ 100 milhões, caso se concretize o cenário mais grave – de 90 a 120 dias sem jogos.

Reunidos por teleconferência nesta segunda-feira (20/04), os membros da direção acertaram detalhes de um plano que estabelece medidas de contenção de despesas e ajuste nas contas. Muitas das ações já vinham sendo adotadas, e a ordem agora é reduzir em até 30% o orçamento em cada uma das áreas. “Este planejamento é indispensável para o Inter atravessar esse período com segurança e voltar com toda a força”, aponta o presidente Marcelo Medeiros.

Os cortes passam por medidas de grande impacto – como, por exemplo, a revisão de diversas operações logísticas e o encerramento das atividades do Inter B. Também estarão suspensos, ao longo da paralisação, novos investimentos, contratações de serviços e compras que não estejam estritamente ligados ao funcionamento do clube. O detalhamento dessas iniciativas ocorrerá ao longo dos próximos dias, quando cada área apresentar as ações de economia que serão tomadas para atingir a meta estabelecida pela direção. “A pandemia trouxe uma repercussão muito forte nas finanças de todos os clubes, e no Inter não foi diferente. Trabalharemos para equalizar essa questão com economia e boa gestão”, pontua o vice-presidente de Finanças, Lauro Hagemann.

O diálogo com outras entidades também seguirá sendo adotado pela gestão. O vice-presidente Alexandre Chaves Barcellos participa semanalmente de teleconferências com a Comissão Nacional de Clubes. Na pauta, são debatidos os novos aspectos da legislação que podem minimizar os prejuízos, bem como eventuais exigências do Profut. “Vamos buscar tudo o que estiver ao nosso alcance para que as perdas de receita tenham o menor impacto no resultado do clube”, destaca.

Saiba quais as medidas definidas pelo Inter para enfrentar a paralisação:

  • Criação de comitê de crise para acompanhamento e reavaliação de ações;
  • Simulação de diferentes cenários de fluxo de caixa;
  • Aproveitamento das medidas implementadas pelo governo;
  • Concessão de férias para atletas e comissão técnica, bem como para grande parte do corpo de funcionários, até 30 de abril:
  • Renegociação com fornecedores;
  • Renegociação bancária;
  • Redução orçamentária em todas as áreas, com meta de 30%;
  • Suspensão de todos os novos investimentos, contratações de serviços e compras que não estejam diretamente relacionadas ao funcionamento do clube;
  • Suspensão de contratações de pessoas;
  • Participação ativa na Comissão Nacional de Clubes.