Nota de pesar: falecimento de Hélio Faillace

É com muito pesar que comunicamos o falecimento do doutor Hélio Faillace, ex-médico do Clube e grande torcedor colorado. A cerimônia de despedida acontecerá neste domingo (12/12) na capela histórica do Crematório Metropolitano de Porto Alegre, das 14h às 18h.

Segundo tenente da Reserva do Exército e médico anestesista, partiu aos 101 anos após criar uma extensa ligação com o Clube do Povo. Na década de 1950, trabalhou como médico da equipe alvirrubra, além de familiares terem atuado no Conselho Deliberativo, incluindo o ex-presidente Salvador Lopumo.

O Clube se solidariza e deseja força aos familiares e amigos.

Luto pela morte de Zangão

Lateral que marcou época com a camisa colorada entre a segunda metade da década de 1950 e o início dos anos 1960, Antônio Guites, o Zangão, faleceu na última sexta-feira (12/11). Ídolo bicampeão gaúcho pelo Internacional, dono das taças de 1955 e 1961, a segunda conquistada como capitão, o vigoroso defensor foi laureado pelo Clube do Povo em 1965, quando completou 10 anos vestindo vermelho.

Ao todo, Zangão disputou 334 partidas pelo Inter. Revelado por Teté, o atleta virou titular do Rolinho, inicialmente, em função mais adiantada, escolhido para ser substituto do gigante Salvador. Deslocado para a lateral-direita, fez história a ponto de ser tratado pela crônica como o melhor da posição no Rio Grande do Sul. Convocado para a Seleção, pediu dispensa da Canarinho para casar com sua amada Leila.

O Internacional manifesta profundo pesar pela partida do ídolo, nascido em janeiro de 1936, e se solidariza com a dor dos amigos e familiares. Obrigado por tudo, Zangão!

Nota de pesar: Roberto Pintaúde


O Sport Club Internacional manifesta pesar pelo falecimento de Roberto Pintaúde, aos 74 anos, vítima de problemas cardíacos, publicitário que teve importante participação no setor de comunicação do Clube nos anos 1990 e foi presidente da Associação Riograndense de Propaganda (ARP). O velório será no cemitério São Miguel das Almas, capela B, das 11h às 15h desta segunda-feira (08/11), e o enterro no cemitério da Alvorada, em Tapes.

Adeus, Jaime Schmidt: missa de sétimo dia ocorre neste domingo

Schimidt no Celeiro de Ases (Foto: Dante/Agência RBS)

A manhã deste domingo (31/10) será momento de reverenciar um importante nome da história colorada, um homem apaixonado pelo Inter e que ajudou a lapidar talentos vitoriosos no Clube do Povo. Falecido na última semana, Jaime Schmidt, treinador que marcou a base colorada nos anos 1970, terá sua missa de sétimo dia, a partir das 9h, na Igreja Luterana de Novo Hamburgo – Rua São Carlos, 289.


A primeira passagem de Schimidt no Celeiro de Ases durou quatro anos – 1972 a 1976, entre as categorias infanto e juvenil. Neste período, além do tricampeonato gaúcho conquistado na base, teve papel fundamental na formação de craques que colocaram o Inter no topo do Brasil, ajudando a revelar jogadores como Caçapava, Batista, João Carlos, André Luiz, Gilmar Rinaldi e muitos outros.

Foto: reprodução livro ‘Jaime Schmidt – Lições De Um Mestre’ (editora Melhorpubli – 2015)

Mais tarde, em 1989, retornou como treinador dos juvenis e participou da formação dos laterais Célio Lino e Daniel, campeões da Copa do Brasil pelo Colorado três anos mais tarde. Em 2003, como olheiro, foi um dos responsáveis por levar para o Beira-Rio o zagueiro/lateral Bolivar, multicampeão e capitão da América em 2010.

Em 1980, ainda foi eleito o melhor treinador gaúcho pelo prêmio Leão de Ouro, da Bandeirantes, após ser campeão brasileiro com a Seleção Gaúcha.

Em foto recente, com o filho Nilson Schmidt (E)

Confira abaixo a declaração de carinho deixada pelo lendário treinador colorado Rubens Minelli, bicampeão brasileiro em 1975 e 76, no livro ‘Jaime Schmidt – Lições De Um Mestre’.

“É uma pessoa de quem guardo uma profunda e maravilhosa lembrança. Na época do Inter, tivemos uma ótima relação. Muito diálogo, um trabalho produtivo e ele sempre querendo aprender, um curioso no bom sentido. Jaime era trabalhador, humilde. Não era arrogante, nem omisso. Fez história nas categorias de base. Ele organizou um trabalho profícuo, me ajudando com vários jogadores no time profissional bicampeão brasileiro, como Caçapava, Batista e o goleador Luís Fernando Gaúcho. Olha, uma coisa é certa: Jaime Schmidt mora no meu coração.”

Rubens Minelli – livro ‘Jaime Schmidt – Lições De Um Mestre’ (Eduardo Rodrigues, editora Melhorpubli – 2015)

Luto pela perda de Lia Therezinha Carvalho

Com grande pesar recebemos a notícia do falecimento de Lia Therezinha Carvalho, mãe do ex-presidente colorado Fernando Carvalho. Neste momento de dor, desejamos força para os amigos e familiares, que recebem o abraço de toda a torcida do Internacional.

Lia Therezinha Carvalho/Foto: Reprodução

Luto pelo falecimento de Alexandre Bessil

O Sport Club Internacional lamenta o falecimento do conselheiro e ex-vice-presidente de Planejamento Alexandre Tesheiner Bessil. Neste momento de dor, toda nossa solidariedade à família e aos amigos.

Pesar pelo falecimento do colaborador Edson Prates

É com profundo pesar que o Sport Club Internacional comunica o falecimento de Edson Prates, colaborador do Clube há mais de 45 anos. Figura querida e de grande dedicação no departamento de futebol profissional, deixará saudades entre familiares e amigos. Em respeito à memória de Prates, a bandeira do Inter está a meio mastro no pátio do Beira-Rio.

Pesar pelo falecimento da consulesa Regina Schaurich

O Relacionamento Social do Sport Club Internacional manifesta pesar pelo falecimento da consulesa Regina Schaurich, do consulado colorado na cidade de Silveira Martins, no Rio Grande do Sul. Grande torcedora, Regina atuou durante muitos anos no consulado, cumprindo a missão de representar o Internacional no município. O Clube se solidariza com todos os familiares e amigos neste momento de dor.

Luto pelas partidas de Florindo e Heyder

Um dia duplamente triste para o povo colorado. Com enorme pesar recebemos a notícia do falecimento de duas importantes figuras da história alvirrubra, ambos vitimados pela pandemia de Covid-19. Florindo, lenda do Rolinho na década de 1950, e Heyder, destaque do Inter nos anos 1980, nos deixaram nesta terça (23/02).


O Gigante de Ébano

Intransponível Florindo!

Ídolo que marcou época nos Eucaliptos, Florindo, o ‘Gigante de Ébano’, foi um dos maiores zagueiros da história do Internacional. Contratado por indicação do igualmente marcante Teté, o defensor vestiu as cores do Clube do Povo de 1951 a 1959, quando integrou o icônico Rolinho, formação tetracampeã citadina e estadual, sucessora do Rolo Compressor.

Titular no primeiro Gre-Nal do Estádio Olímpico, Florindo foi um dos destaques do eterno 6 a 2 colorado. Apesar do batismo da casa rival, porém, o clássico mais marcante para a biografia do defensor foi outro. Também na casa gremista, certa feita arrancou aplausos de azuis e vermelhos ao cortar, de bicicleta, arremate endereçado às redes do Clube do Povo.

Florindo é o segundo em pé da direita para a esquerda

Herói da “SeleInter” campeã do Pan-Americano de 1956, quando oito dos 22 convocados atuavam no Colorado, foi durante o torneio, realizado no México, que o defensor conquistou o especial apelido. À família do ídolo, o Clube do Povo está prestando toda assistência necessária neste momento de luto. Afinal, além de craque, Florindo era também um apaixonado pelo Inter.

Em setembro de 2019, às vésperas de completar 90 anos, o Gigante de Ébano visitou o Gigante da Beira-Rio e prestigiou a apresentação do quinto Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol. Já acometido pelo mal de Alzheimer, Florindo não deixou de conceder entrevista para a Rádio Colorada, onde ressaltou sua paixão pelo Internacional.

“É grande a emoção que estou sentindo, fica difícil falar. Aqui no Clube fiz grandes amigos, como Larry, Bodinho, Canhotinho… todos eles. Falar do Inter faz meu coração saltar, assim como o carinho do torcedor. Nunca vou esquecer do que vivi aqui.”

Florindo
Florindo visitou o Beira-Rio em setembro de 2019

Sport Club Internacional · Memória | Entrevista de Florindo para a Rádio Colorada, em setembro de 2019

O driblador Heyder

Heyder aterrorizava laterais-esquerdos

Após passagem por clubes como Cruzeiro, Flamengo e Bahia, Heyder chegou ao Internacional em maio de 1987, levado pelo técnico Ênio Andrade e posteriormente treinado por Abel Braga. Com a camisa alvirrubra, foi peça importante para o Colorado chegar às finais do Brasileirão de 1988 e 89. Além disso, foi destaque na Copa Libertadores de 1989, principalmente na goleada por 6 a 2 sobre Peñarol, quando jornais uruguaios chegaram a considerá-lo sucessor de Garrincha, tamanho o estrago causado na defesa charrua.

Heyder, o primeiro agachado da esquerda para a direita

Nascido no dia 1 de dezembro de 1959, em Belém do Pará, o ex-ponta direita faleceu aos 61 anos. Heyder vivia na sua cidade natal, onde trabalhava como funcionário público desde que pendurou as chuteiras. Relembre a histórica goleada sobre o Peñarol!

De parte do Internacional, fica o agradecimento a dois jogadores que tanto fizeram pela história colorada. O Clube também deseja força e conforto para os familiares, que sempre encontrarão no Beira-Rio um lar para chamar de seu.

Especial da Rádio Colorada homenageia Maradona

O mundo do futebol acompanhou com grande emoção o velório e posterior cortejo do corpo de Diego Armando Maradona. Realizado nesta quinta-feira (26/11), o evento mobilizou centenas de milhares de argentinos, em justa homenagem a um dos maiores jogadores de todos os tempos. O posto de ídolo foi atingido atingido por El pibe de oro através de antitética e romântica carreira, que a Rádio Colorada fez questão de homenagear em especial. Confira:

Créditos dos áudios
Manu Chao – La Vida Tombola;

Enrique Campos – El Sueño del Pibe;

Los Del Fuego – A Mi Manera;

Trecho de entrevista com Ernesto Cherquis Bialo ao programa “Cada Noche” da Televisão Pública Argentina;

O Programa do Inter da última quarta-feira (25/11) também repercutiu com grande cobertura a morte de Dom Diego. Ídolo xeneize, ex-camisa 10 do Boca Juniors campeão do mundo com a equipe hermana em 2003, Pedro Iarley comentou os anos que viveu no time de coração de Maradona e a relação simbiótica do craque com a Bombonera.

Lateral colorado responsável por marcar o argentino na estreia deste pelo Barcelona, ocorrida nas semifinais do Joan Gamper de 1982, Beretta lembrou a dura missão de anular ‘o mais humano dos deuses’. Ouça as entrevistas:

Sport Club Internacional · Rádio Colorada | Entrevista com ex-atacante Pedro Iarley | 25/11/2020

Sport Club Internacional · Rádio Colorada | Entrevista com ex-lateral Beretta | 25/11/2020