Mais de 230 alunos de Alvorada visitam o Museu do Inter

Mais de 230 alunos do 1° ao 5° ano da Escola Municipal Monteiro Lobato de Alvorada-RS, realizaram uma visita ao Museu do Inter e Estádio Beira-Rio, entre os dias 5 e 6 de maio.

Acompanhados do mascote Saci, as crianças iniciaram a visitação no Museu, onde os grupos teatrais Vida no Caminho e Diversão em Letras apresentaram uma peça sobre prevenção ao abuso sexual infantil, referente ao Maio Laranja.

Depois, as turmas seguiram passeio pela sala de conferência e o túnel. Por último, a emoção tomou conta quando a criançada pôde pisar, pela primeira vez, na beira do gramado do Estádio. A ação contou com o apoio do Projeto Criança Colorada.

Fotos: público prestigia Matchday do Museu do Inter

Um dia de muitas emoções. É assim que podemos definir o Matchday realizado pelo Museu do Sport Club Internacional, na manhã do último sábado (09/4). Na ocasião, os visitantes tiveram uma experiência única ao participar de uma Visita Colorada que contou com diversas atrações.

Iniciada dentro do Museu, a visita também passou pela zona mista, sala de conferência, onde estavam expostos troféus da Libertadores da América, Mundial FIFA e Gauchão Feminino 2021, o vestiário, o túnel e a beira do gramado do estádio. Lá, o grupo de visitantes pode celebrar o aniversário do Museu e do Inter junto ao mascote Saci, a banda da torcida Guarda Popular, as jogadoras Bruna Benites, Sorriso, Duda, Capelinha e Fabi Simões, acompanha dos pais, além de ídolos que fizeram história com o manto alvirrubro, entre eles os zagueiros Pinga e Vinícius, o goleiro Hiran e o atacante Fabiano.

Coordenadora do Museu do Inter, Daniela Amaral explica que a ação é uma forma de aproximar o público da história colorada. “Foi uma experiência incrível, recebemos um retorno positivo dos visitantes. Integrar os colorados e coloradas em um ambiente cultural traz momentos de lazer e engrandece ainda mais o nosso Clube”, explica Amaral.

Confira imagens do Matchday:

Fotos: Fred Colorado

Estudantes do Centro da Juventude de Alvorada visitam o Museu do Inter

Nesta segunda-feira (04), cerca de 30 estudantes do Centro da Juventude Alvorada puderam conhecer um pouco mais sobre a história alvirrubra através do tour Visita Colorada, realizando um passeio guiado pelo Museu do Inter e Estádio Beira-Rio. A visita foi realizada por intermédio do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e do Projeto Criança Colorada.

Atletas da base colorada conhecem museu do clube e fazem tour pelo Beira-Rio

O Departamento de Iniciação da base do Internacional proporcionou uma experiência marcante para suas categorias (Sub-10 ao Sub-13). Acompanhados das comissões técnicas, os guris visitaram o museu do clube e ainda realizaram um tour pelo Beira-Rio.

Saci posando com a gurizada no camarote do Beira-Rio/Foto: Jota Finkler

Ao invés de calçar chuteiras e treinar em Alvorada, eles vestiram o manto colorado e subiram no ônibus com destino a avenida Padre Cacique. Lá os guris conheceram um pouco da história do Internacional, desde a sua fundação até a mudança do lendário estádio dos Eucaliptos para o moderno e imponente Beira-Rio, palco de muitas das conquistas do colorado em sua “senda da vitória”, como exalta o hino oficial do clube, que também foi admirado pelos futuros atletas do Inter em um painel que retrata a partitura musical original da composição de Nelson Silva.

O carinho com o Saci emocionou a todos presentes /Foto: Jota Finkler

Com um sorriso no rosto e atentos às explicações da equipe do Museu, o futuro do Internacional mergulhou na história do clube conhecendo materiais de divulgação da campanha de construção do estádio Beira-Rio, os primeiros troféus conquistados, a história do nosso futebol feminino, as glórias do Rolo Compressor, o inigualável Octacampeonato Gaúcho, as três taças do Brasileirão, além das duas Libertadores, Copa Sul-Americana e a glória máxima do Mundial de Clubes de 2006, entre outras tantas conquistas expostas no espaço.

O futuro conhecendo o passado glorioso do Internacional /Foto: Jota Finkler

Para o Coordenador do Departamento de Iniciação, Cristian Costa, este tipo de ação contribui com o sentimento de pertencimento que os pequenos atletas devem ter: “Conhecer a história do Internacional é fundamental, além de ser importante para eles se sentirem parte do clube. Isso gera acima de tudo, um carinho pela instituição e antes de formar ótimos atletas, temos o compromisso de formar excelentes cidadãos. A ideia é que possam levar boas experiências deste período em que estiverem vestindo a camisa do Internacional”, afirmou.

Sala de imrensa foi tomada pelos futuros jogadores do colorado /Foto: Jota Finkler

Após o museu, foi a vez de conhecer os camarotes do Beira-Rio, onde um encontro inesperado aconteceu. O Saci fazia largou seu compromisso para abraçar, fazer fotos e a festa com a gurizada. Em seguida a sala de imprensa e o vestiário foram visitados.

E como último ato de uma tarde inesquecível, o túnel de acesso e depois a beira do gramado recebeu aqueles que sonham em um dia jogar no Gigante, como contou Brener Ferreira, meio-campo do Sub-11: “O estádio é lindo. Eu sonho no futuro jogar aqui, marcar um gol e ir pro abraço com a torcida”, projetou.

No vestiário houve até ensaio de comemoração após uma vitória /Foto: Jota Finkler

Pela primeira vez, troféu do Torneio Joan Gamper será exposto no Museu do Inter

A torcida colorada, que recentemente vibrou com o lançamento do novo manto alvirrubro para a temporada de 2022, agora tem mais um motivo para comemorar. No ano em que a conquista do torneio Joan Gamper completa 40 anos, o troféu original da competição será exposto de forma inédita no Museu do Inter. A partir das 10h da próxima terça-feira (15), os torcedores poderão ver de perto o símbolo máximo que marca a única a conquista de um clube brasileiro neste torneio.

Foi diante de mais de 100 mil pessoas que o Internacional desbancou o Barcelona, que contava com o estreante Maradona, na reinauguração do Estádio Camp Nou, naquele 24 de agosto de 1982. Após empate no tempo normal, os colorados venceram nos pênaltis, convertidos por Ruben Paz, Andrezinho, Ademir Kaefer e André Luiz, garantindo a classificação para a finalíssima do torneio. Apenas Maradona conseguiu converter para a equipe catalã. Enquanto isso, o Manchester City também eliminou o Colônia através das penalidades, após empate em 1 a 1.

Já na grande final, realizada no dia 25, o Internacional derrotou o Manchester City por 3 a 1, consagrando-se campeão da 17ª edição do torneio. Os gols colorados foram marcados por Edvaldo, Paulo Cezar e Fernando Roberto – MacDonald descontou para a equipe inglesa. O Inter foi a campo com Benítez, Edvaldo, Mauro Pastor, André Luís, Mauro Galvão, Ademir Kaefer, Paulo Cezar (Fernando Roberto), Ruben Paz, Muller (Joãozinho), Cléo (Sílvio) e Silvinho.

O Internacional disputou ainda as edições de 1989 e 1991 ficando, respectivamente, em quarto e terceiro lugares, e é a única equipe de fora da Europa a ter conquistado a competição até hoje.

O Troféu Joan Gamper é um torneio internacional amistoso organizado pelo Barcelona, disputado anualmente desde 1966 no Estádio Camp Nou, na Espanha. Esse é considerado o mais importante e tradicional torneio de verão europeu. Seu nome é uma homenagem ao fundador e primeiro presidente do clube, o suíço Hans Gamper, que na Catalunha ficou conhecido como Joan Gamper.

Cartaz de divulgação do Troféu Joan Gamper de 1982 – Crédito/Foto: Museu do Inter

Museu do Inter oferece entrada gratuita para mulheres no Dia Internacional da Mulher

Neste Dia Internacional da Mulher (8/03), o Museu do Inter proporcionou acesso gratuito às mulheres, como forma de homenageá-las nessa data tão especial. A Raíssa Bahia veio de Eldorado do Sul para fazer o tour Visita Colorada. Acompanhada da família, ela elogiou a iniciativa do Clube do Povo. “Eu acho muito importante [a ação] porque acaba envolvendo o torcedor com a história do Internacional e também para ter mais visibilidade feminina dentro do Estádio. Eu gostei bastante da visita e espero vir mais vezes, inclusive para assistir aos jogos”.
Personalidades importantes na representatividade feminina dentro e fora de campo, as atletas Bruna Benites, Maiara e Sorriso, das Gurias Coloradas, e integrantes da Torcida Força Feminina Colorada também estiveram presentes. “Ações como essa são fundamentais para trazer mais mulheres para o nosso estádio, lugar onde as Coloradas devem encontrar cada vez mais espaço, serem ouvidas e valorizadas”, destaca Janice Cardoso, diretora Feminina e de Inclusão do Inter.

Clube do Povo prepara ações alusivas ao Dia da Mulher

Data terá série de homenagens no Beira-Rio (Fotos: Ricardo Duarte)

A semana começa com duas datas importantes para a torcida colorada. Além do Gre-Nal 435, que será disputado na quarta-feira (09/03), às 21h, no Beira-Rio, a terça-feira ainda marca o Dia Internacional da Mulher. E para um Clube que tem mais de 22% de associadas e 23% de mulheres em seu quadro funcional, as duas datas representam muito.

Desta forma, o Inter está planejando uma série de atividades alusivas ao 8 de março e que não se encerram apenas no dia determinado pelo calendário. A começar pelo maior clássico gaúcho, que terá parte de sua renda revertida ao futebol feminino. A verba arrecadada servirá para subsidiar as transmissões de algumas partidas das Gurias Coloradas, realizadas em Porto Alegre, no Campeonato Brasileiro A1, que teve início no sábado, com a vitória das Gurias sobre o Cresspom-DF. O objetivo é dar ainda mais visibilidade à equipe nas competições que disputa.

Além disso, parte do plantel das Gurias Coloradas entrará em campo, antes do começo do jogo, vestindo uma camisa licenciada confeccionada especialmente para todas as funcionárias do Clube.

A peça branca carrega no peito os dizeres “Sou mulher, sou colorada, sou gigante”, além de um logo desenhado pelo artista Gonza Rodriguez que representa a força feminina dentro e fora de campo. Na parte de trás, surge o escudo colorado.

Ainda no Gre-Nal será realizado o sorteio de camisas oficiais apenas para as sócias presentes e informado, também, que todas as mulheres, sócias ou não, terão acesso gratuito na próxima partida a ser realizada no Beira-Rio, mediante check-in. Os detalhes desta ação serão comunicados nos canais oficiais do Clube em breve.

O Museu do Inter também preparou uma promoção para este dia 8: a visita colorada e a entrada no museu não serão cobradas para as mulheres.

Fevereiro Laranja: doadores de medula óssea passam a ter desconto no Museu do Inter

Durante este mês, a campanha ‘Fevereiro Laranja’ busca conscientizar a população sobre o tratamento da leucemia e a doação de medula óssea. Pensando colaborar com a propagação deste tema tão importante, o Museu do Inter passa, a partir deste sábado (12/02), a ofertar desconto de 50% (meia entrada) para visitantes doadores de medula óssea.

Para garantir a meia entrada, é necessário apresentar a carteirinha de doador, emitida em um hemocentro, e um documento com foto na bilheteria do Museu.

> Saiba como se tornar um doador de medula óssea e ajudar a salvar vidas.

Nova chance para a vida: saiba como funciona a doação de medula óssea

Tendo como principal característica o acúmulo de células doentes no sangue, que substituem as células normais, a leucemia é um tipo de câncer que se manifesta na medula óssea. Atualmente, a doença corresponde a mais de 10 mil novos casos por ano no Brasil, segundo aponta o Instituto Nacional do Câncer (INCA). A importância do diagnóstico e tratamento da leucemia e a doação de medula óssea estão sendo abordados durante o mês de fevereiro, que recebe o laço laranja como forma de conscientizar a população sobre o tema. 

Conforme o INCA, existem mais de 12 tipos de leucemia, que contam com diferentes tratamentos – entre eles, o transplante de medula óssea. Além da leucemia, o transplante também é indicado para outras doenças relacionadas com a fabricação de células do sangue e com deficiências no sistema imunológico. “Os principais beneficiados com o transplante são pacientes com leucemias originárias das células da medula óssea, linfomas, doenças originadas do sistema imune em geral, dos gânglios e do baço, e anemias graves – adquiridas ou congênitas”, explica a médica hematologista Lisandra Della Costa Rigoni, especialista em Transplante de Células Tronco Hematopoiéticas. 

Para realizar o transplante é necessário haver um alto grau de compatibilidade entre doador e receptor. Atualmente, o Brasil tem mais de 5 milhões de doadores de medula óssea cadastrados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), sendo o terceiro maior banco de doadores no mundo. Por outro lado, 650 pacientes estão inscritos na busca de doador não aparentado. Mas apesar do grande número de doadores, muitos estão com os dados desatualizados no sistema e por esse motivo acabam não sendo localizados. 

Juliana Ribeiro está entre os milhões de doadores que fazem parte do REDOME. Cadastrada desde 2015, ela conta que viu a possibilidade de fazer a diferença na vida de alguém se tornando uma doadora.

“Infelizmente, é muito difícil de se encontrar um doador de medula óssea, portanto, é de suma importância ter um bom número de doadores para que haja um aumento na probabilidade de encontrar alguém compatível. O processo é simples e a medula só é a doada de fato quando há compatibilidade. No hemocentro somente extraem uma amostra do seu sangue para fazer parte do cadastro.”

Juliana Ribeiro
Juliana com a carteirinha de doadora de medula óssea

E foi graças a um doador cadastrado no REDOME que o Théo Camargo Corrêa recebeu uma nova vida. Em 2015, após diversas idas ao hospital com uma febre constante, ele foi diagnosticado com a doença. À época, ele tinha 1 ano e 8 meses de idade. Após um longo período de tratamento, com várias etapas e muitos dias de internação, a família, moradora de Gravataí, foi informada de que o menino precisaria passar pelo transplante de medula óssea.  

A expectativa era de que houvesse um doador compatível entre os familiares e amigos, mas infelizmente foi frustrada. Logo, o Théo foi cadastrado no REDOME. E não demorou muito para que o telefonema mais aguardado chegasse. Em cerca de 20 dias, um possível doador para o Théo foi identificado. “

“Na hora [da ligação] o que passou pela minha cabeça foi agradecer a Deus por ter dado a dádiva de ter alguém 100% compatível com meu filho, porque a gente sabe o quão difícil é achar um doador com total compatibilidade.”

Vanderleia Camargo Corrêa , mãe de Théo

O transplante foi realizado em 2017 e foi um sucesso. Hoje, Théo está com 8 anos e saudável, e segue fazendo acompanhamento anual com a equipe médica. Em janeiro deste ano, ele e o doador de quem recebeu a medula tiveram a oportunidade de se conhecer. Juntos, celebraram a vida. 

Como se tornar doador de medula óssea 

O procedimento para doar medula óssea é seguro e envolve poucos riscos ao doador. Para ser um doador, basta ir até um hemocentro. O voluntário à doação irá assinar um termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE), e preencherá uma ficha com informações pessoais. É necessário apresentar o documento de identidade. Após, será retirada uma pequena quantidade de sangue (10ml) do candidato a doador.  O sangue será analisado por exame de histocompatibilidade, um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que serão cruzadas com os dados de pacientes, determinando a compatibilidade. 

Esses dados serão incluídos no REDOME e quando houver um paciente com possível compatibilidade, o doador será consultado para decidir quanto à doação. Por este motivo, é necessário manter os dados sempre atualizados

A doação da medula óssea é um procedimento realizado em centro cirúrgico e requer internação de 24 horas. Durante o procedimento, que leva em torno de 90 minutos, a medula é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções. Após o procedimento, a medula óssea do doador se recompõe em apenas 15 dias. Segundo a hematologista Lisandra Della Costa Rigoni, os doadores normalmente retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana após a doação. “Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples”. 

A médica também explica que existe outro método de doação chamado coleta por aférese. Neste caso, o doador faz uso de uma medicação por cinco dias com o objetivo de aumentar o número de células-tronco (células mais importantes para o transplante de medula óssea) circulantes no seu sangue. Após esse período, a pessoa faz a doação por meio de uma máquina de aférese, que colhe o sangue da veia do doador, separa as células-tronco e devolve os elementos do sangue que não são necessários para o paciente. Não há necessidade de internação nem de anestesia, sendo todos os procedimentos feitos pela veia. 

A decisão sobre o método de doação mais adequado é exclusiva dos médicos, tanto do paciente quanto do doador, e é avaliada em cada caso. 

Inter promove ações comemorativas aos 15 anos da conquista do Mundial

Título no Japão será recordado em série de ações (Foto: Ricardo Duarte)

A semana será de emoções para o Inter e sua torcida. Para comemorar os 15 anos da conquista do Mundial, o Clube está programando uma série de atividades alusivas à data, comemorada na próxima sexta-feira (17/12).

O aquecimento começa na quinta-feira (16), onde a Visita Colorada, nos horários das 14h e 15h30, contará com uma presença ilustre: ao final do trajeto, o ídolo Iarley estará no gramado do Estádio Beira-Rio para uma ação de Chute a Gol. O ex-goleiro Hiran também estará presente.

À beira do campo, será posicionada uma goleira para que os visitantes tenham a oportunidade de marcar um gol no Gigante. A atividade é restrita a 30 pessoas por grupo, uma vez que ainda está sendo respeitado o distanciamento social e evitado qualquer tipo de aglomeração. Os colorados também poderão fazer fotos com a taça da conquista de 2006. Neste dia, o Museu do Inter terá gratuidade no ingresso. As ações são válidas para sócios e não sócios.

> Saiba mais sobre a Visita Colorada

Já a sexta-feira (17), reserva uma agenda recheada de atrações. A começar pelo lançamento de uma camisa comemorativa aos 15 anos do maior título da história colorada. Para relembrar o manto branco usado pelos jogadores diante do Barcelona, foi criada uma réplica licenciada com a assinatura do capitão Fernandão.

E o discurso emocionado de F9 antes da partida poderá ser revisto por meio de um QRCode na tag da camiseta que irá direcionar para o vídeo dos bastidores de Yokohama. A camisa estará à venda nas lojas oficiais do Clube por R$ 199,00 para sócios. Além disso, 200 sócios colorados que se mantiveram adimplentes durante a pandemia serão sorteados para receberem a camisa. Ela será revelada ao público na quinta-feira (16).

O Clube também organizou um café da manhã para convidados. Conselheiros, ex-jogadores e ex-funcionários serão recepcionados pelo Conselho de Gestão e pela Mesa do Conselho Deliberativo para um momento de celebração e homenagens.

Entre elas, aos torcedores eméritos Noêmia Martins Fontoura (Vó Noêmia), Sérgio Antônio da Silva Vanacor (Macaco) e Jorge Luís de Oliveira (Nego Beleza), que, ao longo dos anos demonstram seu amor incondicional pelo Inter. O título de Capitão Emérito outorgado a Fernandão será recebido por Fernanda Bizzotto, Enzo e Eloá, esposa e filhos do eterno capitão colorado. Aldo Dias Rosa (in memoriam) será lembrado com a Medalha Irmãos Poppe. Outros dez sócios foram sorteados para participarem do encontro. Ao término do evento, haverá uma queima de fogos.

Na sequência, e ainda em comemoração à data, o Clube irá realizar a sua tradicional festa para os colaboradores, onde todos serão recepcionados para um almoço no CT Parque Gigante.

E para encerrar as atividades, a partir das 18h, a Rádio Colorada colocará no ar um programa especial relembrando a conquista.