“Sabemos e vamos deixar claro aonde queremos chegar!” Mano Menezes é apresentado no Beira-Rio

O futebol masculino alvirrubro tem um novo comandante. Anunciado na noite de ontem, Mano Menezes foi oficialmente apresentado como técnico do Clube do Povo no final da manhã desta quarta-feira (20/04). Dono de rico e vitorioso currículo, o profissional, contratado até o final de 2022, concedeu entrevista coletiva na sala de imprensa do Beira-Rio, e compartilhou sua satisfação em retornar ao Inter após 20 anos de sua primeira passagem pelo Colorado, à época realizada na função de treinador da categoria juvenil do Celeiro de Ases.

“Sabemos e vamos deixar claro onde queremos chegar.

Não conheço ninguém que evolua sem vencer.

O torcedor quer um modelo de jogo,

mas quer ganhar amanhã e no jogo seguinte,

e isso dá confiança para avançar!”

Mano Menezes
Mano Menezes é o novo técnico do Inter/Foto: Ricardo Duarte

A coletiva de apresentação do técnico colorado contou com as presenças de Alessandro Barcellos, presidente do Internacional, Emílio Papaléo Zin, vice de Futebol, Paulo Autuori, Diretor Técnico, e William Thomas, Diretor Executivo. Diante dos microfones, foi o mandatário do Clube do Povo quem primeiro se pronunciou à imprensa, sublinhando a rica trajetória construída por Mano Menzes no esporte e projetando o encaixe do profissional no cada vez mais estruturado Departamento de Futebol alvirrubro.

“Hoje, a gente consolida a formatação profissional daqueles que conduzirão o Departamento de Futebol do Inter. Apresentamos o Paulo Autuori como Diretor Técnico, responsável por todo o departamento junto com o William, que assume, também, nessa transversalidade. E, agora, o responsável por nossa equipe, de orientação e modelo de jogo, é o Mano Menezes, que hoje completa esse trio. Mano é um treinador que todos conhecem. Sua história, sua trajetória, começou no Rio Grande do Sul e percorreu Brasil e mundo.”

Alessandro Barcellos
Paulo Autuori (E), Alessandro Barcellos, Mano Menezes, Emílio Papaléo e William Thomas (D)/Foto: Ricardo Duarte

Emílio Papaléo também celebrou a chegada de Mano Menezes, reforçando o sentimento de satisfação com que o Clube encara o retorno do profissional. O vice-presidente de Futebol ainda definiu Mano Menezes como um profundo conhecedor da cultura gaúcha e colorada, ressaltando que essa experiência pode ser fundamental para o técnico na missão de conduzir o Inter a grandes feitos em 2022, ano que recentemente teve iniciadas as disputas da Sul-Americana e do Campeonato Brasileiro.

“Devo dizer, Mano, da alegria de te ter de volta no Beira-Rio. Tens uma carreira vitoriosa e, mais do que qualquer outro atributo, a plena consciência e conhecimento da nossa cultura e do que representa o Internacional. Com a tua chegada, fechando essa equipe técnica junto de Autuori e William Thomas, sei que tu vais nos ajudar, contribuindo para que o Internacional retome sua senda de vitórias. Seja bem-vindo!”

Emílio Papaléo Zin
Comandante posou para fotos ao lado do presidente e do vice de Futebol/Foto: Ricardo Duarte

Encerrados os pronunciamentos do corpo diretivo colorado, Mano Menezes atendeu às perguntas dos profissionais de imprensa presentes no Beira-Rio. O técnico, que minutos mais cedo comandara seu primeiro treino no CT Parque Gigante, falou sobre o retorno ao Inter, a busca do Clube por uma filosofia consolidada de futebol, sua maneira de trabalhar no dia a dia e de algumas convicções que carrega a respeito de estruturação tática de equipes, além de externalizar sua alegria em trabalhar com Paulo Autuori, amigo de longa data, mas com quem jamais dividira funções em uma mesma time. Confira as principais aspas:

Foto: Ricardo Duarte

“Primeiro, quero falar ao torcedor colorado da minha felicidade de estar aqui nesse momento. Voltar ao Clube que fez uma importante parte na minha formação como técnico de futebol. Acredito que tudo na vida tem sua hora. Se estou aqui, é porque tenho conhecimento e bagagem para o Internacional, e também penso que o Internacional é o Clube certo para me ajudar. Quando isso existe, as coisas tendem a andar bem.”

Mano Menezes
Foto: Ricardo Duarte

“Acho saudável que o Internacional busque uma filosofia para o Clube. Um dos grandes problemas que nossos times têm é a constante transformação, que às vezes faz com que você viva em círculos. É extremamente importante buscar uma identidade. Mas acho que precisamos saber o caminho para chegar aonde queremos, e nós sabemos e vamos deixar claro onde queremos chegar. Não conheço ninguém que evolua sem vencer.”

Mano Menezes
Foto: Ricardo Duarte

“Dificilmente vocês vão ter de mim um comentário individual, a menos que seja para fazer um grande elogio, às vezes depois de uma atuação extraordinária que a gente deve reconhecer. Minhas análises, quase sempre, serão da equipe, e ainda é um pouco cedo para falar sobre como vou montá-la. Eu penso o futebol de uma forma bem completa. Não conheço times vencedores que só se comportam de forma defensiva, nem times defensores que só propõem. O futebol, pra mim, é tudo isso.”

Mano Menezes
Foto: Ricardo Duarte

“Penso sempre o futebol, primeiro, na parte tática. Uma equipe organizada taticamente recupera muitas coisas, e quando as coisas precisam ser recuperadas, simplificar é o caminho inicial. Procuro montar minhas equipes com linha de quatro defensiva. Hoje, a maioria das equipes, quando inicia a construção da jogada, inicia com uma linha de três, e uma linha de três não significa três zagueiros. Minha ideia é essa saída de três, com dois zagueiros e um lateral.”

Mano Menezes

“Vou procurar obedecer e respeitar a característica dos jogadores que fizerem a formação, porque isso é tirar o melhor de cada um. Vamos, sim, construir com qualidade, porque hoje, se você não fizer isso, dificilmente estará entre as melhores equipes. O futebol, para mim, é simples: se não tivermos a bola, temos que, imediatamente, trabalhar para recuperá-la. Todos. E quando tivermos a bola, precisamos de competência para não entregar para o adversário. Penso eu que existe um potencial de melhora bastante grande no Inter.”

Mano Menezes
Foto: Ricardo Duarte

“Vou montar o time do Internacional com as características que temos. Precisamos obedecer às características, o que queremos deles, que é o profissionalismo, o comprometimento e a entrega. Para você gerenciar um grupo tão grande de profissionais, você tem que construir uma maneira de comportamento, e privilegiar aquilo que eles entregam em favor da equipe. Você também leva em consideração os seus principais jogadores, que você julga que sustentem a sua maneira de jogar.”

Mano Menezes
Foto: Ricardo Duarte

“Paulo Autuori faz parte da minha vida como treinador. Eu estava ainda no Guarani de Venâncio Aires quando tive a honra de dirigir um centroavante chamado Caio Júnior, e ele me proporcionou a aproximação com o Paulo. A partir daí, nunca nos desligamos, mesmo estando longe e nunca tendo trabalhado juntos. Pra mim, é uma honra trabalhar com um profissional como ele, que julgo como dos mais competentes em termos de conhecimento para realizar o trabalho que se propõe. Juntamente com todos, acho que o Internacional inaugura, no Clube, a forma adequada de conduzir um Departamento de Futebol.”

Mano Menezes
Mano Menezes já comandou atividades na manhã desta quarta-feira/Foto: Ricardo Duarte

Sob o comando de Mano Menezes, o elenco colorado tem mais dois dias para trabalhar antes de voltar a campo. No próximo sábado (23/04), às 19h, o Clube do Povo enfrenta o Fluminense, no Maracanã, em duelo da terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Atualmente, o Inter soma três pontos na competição, conquistados no domingo passado (17/04), data de vitória de 2 a 1 sobre o Fortaleza, no Beira-Rio.

> Leia também: Mano Menezes é o novo técnico do Inter

> Leia também: Com participação de Mano Menezes, Colorado treina no CT

Paulo Autuori é apresentado no Beira-Rio

“O destino quis que, exatamente no aniversário do Internacional, a torcida colorada fosse brindada com essa apresentação.” Foi assim que Emílio Papaléo Zin, vice-presidente de Futebol do Clube do Povo, comunicou, de maneira oficial, a chegada do mais novo Diretor Técnico alvirrubro. Aos 65 anos, Paulo Autuori foi anunciado na sexta-feira passada (01/04), mas concedeu sua primeira entrevista neste retorno ao Beira-Rio exatamente na data em que o Colorado completa 113 anos de história. Na Sala de Imprensa do Gigante, o profissional discorreu, ao longo de dezenas de minutos, a respeito dos pilares que nortearam e ainda norteiam sua trajetória no futebol mundial, concentrando atenções e holofotes ao longo desta manhã de segunda-feira (04/04).

“Meu trabalho é muito simples:

facilitar ao máximo a vida do treinador.

E, para isso, vou me dedicar.”

Paulo Autuori
Alessandro Barcellos (E), Paulo Autuori e Emílio Papaléo Zin/Foto: Ricardo Duarte

Coube ao presidente Alessandro Barcellos a primeira fala na coletiva, e o mandatário fez questão de, antes mesmo de cumprimentar o Diretor Técnico, celebrar o aniversário colorado através de pronunciamento à Maior e Melhor Torcida do Rio Grande. Nesse, o dirigente citou a gloriosa história alvirrubra e sublinhou os esforços que o Clube tem empreendido com o objetivo de atingir crescente sucesso e acumular alegrias. Barcellos ainda lembrou das iminentes estreias em Sul-Americana e Brasileirão, respectivamente previstas, no calendário alvirrubro, para os próximos dias 6 e 10, para então saudar a chegada de Paulo Autuori ao Inter.

“É disso que se trata esse momento. De saudar a história e de nos colocar em dois grandes desafios a curto prazo. Para isso, temos feito algumas correções e avaliações, e hoje é um ponto importante. O Autuori vem cumprir uma função que é nova no futebol brasileiro. Que poucos exercem, e ainda menos com a maestria que ele desempenha. Tem um perfil que dispensa apresentações, e a capacidade dele de fazer uma leitura nas mais diversas dimensões que incluem o futebol nos dão a certeza de que essa história vai deixar um legado muito grande.”

Alessandro Barcellos
Presidente (E) abriu a coletiva de apresentação do novo Diretor Técnico/Foto: Ricardo Duarte

Papaléo sucedeu o presidente, e igualmente exaltou o currículo construído por Autuori no futebol. Multicampeão como treinador e também vencedor na recente trajetória que constrói fora das quatro linhas, o profissional teve elogiado seu trato com as pessoas, capaz de, nas palavras do vice-presidente de Futebol do Inter, deixar portas abertas por onde passou. As valências do Diretor Técnico, inclusive, têm sido atestadas por todos desde sábado (02/04), quando o carioca de 65 anos acompanhou, pela primeira vez, atividades no CT Parque Gigante.

“O momento não é de comemoração, porque nós, como disse o presidente, logo mais embarcamos para fora, onde começaremos um importante certame. Já no próximo final de semana começa o Campeonato Brasileiro, e nosso foco está absolutamente centrado nessas competições. Mas nem por isso deixamos de festejar, nesse dia, a chegada de Paulo Autuori, que não parou um minuto desde que chegou a Porto Alegre. Não tenho a menor dúvida de que será uma grande contribuição. Seja muito bem-vindo!”

Paulo Autuori
Autuori (C) já acompanhou as atividades do último sábado/Foto: Ricardo Duarte

Devidamente recepcionado, com direto a entrega de camisa personalizada, Paulo Autuori agradeceu pelo caloroso trato com que foi recebido em seus primeiros dias de Inter, e deixou claro que a melhor maneira de responder às boas-vindas será através do trabalho. Diante dos microfones, o protagonista da manhã parabenizou a “enorme, histórica e gloriosa” instituição que é o Clube do Povo, e passou a atender aos questionamentos feitos pela imprensa. Logo de cara, em sua primeira resposta, o Diretor Técnico elaborou sobre o papel que o futebol ocupa em sua vida.

Foto: Ricardo Duarte

“Costumo dizer que o futebol é vida. Por vezes, queremos deixar o futebol em um mundo à parte, mas as coisas não são assim. Cada vez mais, ele é um fenômeno socioeconômico. Sociológico, antropológico, porque é tudo, contexto e homem, e mesmo filosófico, e talvez algumas escolas de treinadores sejam fortes porque contemplam isso. O treino faz o jogo, e o jogo justifica o treino.”

Paulo Autuori

Preparador físico no início de sua carreira, que logo tomou o rumo do comando de casamatas, Autuori soma mais de 25 anos de experiência no futebol do exterior. Dono de passaporte que conta com carimbos de Japão, Catar, Peru e Colômbia, ele, que milita no esporte há quase cinco décadas, começou a atuar de maneira específica em cargos de bastidores no início de 2017, e desde então acumula passagens, seja enquanto coordenador ou diretor, por equipes como Athletico-PR, Fluminense e Santos. Independente de função, porém, Paulo elencou o trabalho em equipe como característica que mais valoriza no dia a dia.

“Saber a diferença entre o ser e o estar. Aprendi isso ao longo da minha vida. Ser é uma coisa duradoura, e estar é momentâneo. Para mim, a terminologia não diz absolutamente nada. A minha essência é o trabalho em equipe. Sempre foi, na minha vida no futebol. Passei por todas as atividades ligadas ao campo, o que me dá segurança em relação àquilo que é o nosso contexto. E me gera convicções muito claras em relação a poder ter passado por três continentes e ter tentado entender o que é o futebol nesses lugares.”

Paulo Autuori
Paulo Autuori é o novo Diretor Técnico colorado/Foto: Ricardo Duarte

Desde que chegou a Porto Alegre, Paulo Autuori já empreendeu suas primeiras ações na rotina do CT Parque Gigante. Profundo conhecedor das particularidades do calendário brasileiro, ele reconhece que o futebol de nosso país oferece tempo extremamente escasso para trabalhar, e sabe que, diante deste cenário, a agilidade assume contornos ainda mais fundamentais, bem como a honestidade no trato com o grupo de jogadores – que precisa ser recíproca, independente da situação encarada dentro de campo.

Foto: Ricardo Duarte

“Não há como você falar em tempo no futebol brasileiro. Isso é óbvio. Agora, assim que você entra, existem medidas de curtíssimo prazo, outras de curto, e também de médio. Uma coisa que eu exijo sempre, dos grupos com os quais trabalho, é que nós somos o que somos, e temos que sê-lo em todas as circunstâncias e momentos. Meu contato com os jogadores é diário, permanente, assim como com a comissão técnica. O fim do processo é o jogo, mas, até chegar lá, existe um invisível, que para a maioria das pessoas não interessa. Nós julgamos resultado, mas não analisamos o trabalho.”

Paulo Autuori

A respeito dos primeiros contatos que estabeleceu com os profissionais que integram o Departamento de Futebol colorado, Paulo Autuori elogiou a comissão técnica liderada por Alexander Medina, especialmente pela capacidade de adaptação que o uruguaio tem apresentado na capital gaúcha. Fiel aos seus princípios, o ‘Cacique’ demonstra evidente disposição a se encaixar nas exigências do contexto colorado, qualidade comemorada pelo novo Diretor.

Foto: Ricardo Duarte

“Acho que o Inter tem uma comissão técnica de muito bom nível. Trabalhei muito tempo fora do Brasil, e posso dizer que o Medina tem uma coisa extraordinária, que é saber ler o contexto. Por vezes, alguns profissionais, quando trabalham fora de seu país, tentam apenas repetir o que faziam nos seus. Se adaptar ao contexto, sem jamais ferir sua ideia, princípios e valores; nisso, o Medina é extraordinário. Pela maneira com que se comunica em relação ao futebol.”

Paulo Autuori

Autuori ainda falou sobre o papel fundamental que o aspecto psicológico desempenha no futebol de hoje. Para além das sempre citadas valências físicas, técnicas e táticas, o carioca ressaltou que os jogadores precisam ter um lado mental forte para atingir o sucesso. Com isso, podem superar, inclusive, equipes mais bem cotadas, ao mesmo tempo em que a ausência dessa capacidade tem o potencial de comprometer todo o resto do que foi preparado.

Foto: Ricardo Duarte

“A forma desportiva é muito clara, e tem a ver com quatro pilares: técnica, que é do jogador, tática, da estratégia, física e mental, que nesse momento é a mais importante. Mais do que jogador de futebol, você é um competidor. Por vezes, você pode não ser superior ao seu antagonista tecnicamente, mas, se for mais forte mentalmente, vence. Por isso o futebol é imponderável. Por isso tem uma massa de adeptos. Não adianta uma tremenda forma física, a técnica estar bem, taticamente cumprir o que o treinador quer, mas, mentalmente, estar frouxo. Ser forte mentalmente, é isso que eu peço!”

Paulo Autuori

Por fim, o novo Diretor Técnico do Internacional deixou claro que balizará suas atitudes cotidianas a partir das necessidades do Clube do Povo, postura que naturalmente poderá resultar em medidas impopulares – até mesmo para o próprio. As vontades pessoais, afinal, serão relegadas ao segundo plano, em nome de um trabalho que está pronto para lidar com a pressão que decorre de vestir as cores de um gigante do futebol.

“Há situações em que você precisa fazer, em termos de gestão, e estou falando de gestão esportiva, medidas impopulares. Uma coisa é necessidade. Outra, vontade pessoal. E a prioridade sempre estará voltada às necessidades. Aqui não pode ter espaço para o que eu quero. Pressão, no futebol, para mim, passou a ser vulgar, porque quem entrar no futebol e não se der conta de que precisa viver diariamente assim, não vai ter vida longa.”

Paulo Autuori
Diretor Técnico falou durante quase uma hora/Foto: Ricardo Duarte

Já com Paulo Autuori integrado à delegação, o Inter embarcou para o Equador horas depois da coletiva realizada no Beira-Rio. No país vizinho, o Colorado estreará, na próxima quarta-feira (06/04), na fase de grupos da Sul-Americana, título que já conquistou no ano de 2008. O adversário alvirrubro no Estádio de Jocay, em Manta, será o 9 de Octubre, e a partida está prevista para as 21h30.