Raio-X: Na Arena, Inter disputa Gre-Nal 433

Dia de Gre-Nal! A partir das 16h30 deste sábado (10/07), o Clube do Povo visita o Grêmio, na Arena, pela 11ª rodada do Brasileirão 2021. Confira entrevista da Rádio Colorada com Gabriel Corrêa, jornalista coordenador de conteúdo do Footure, projetando o duelo. Abaixo, você encontra todas as informações sobre o 433º clássico da história!

Sport Club Internacional · Raio-X #38 | Internacional x Grêmio | 10/07/2021

Transmissão 📻

O sábado será especial na Rádio Colorada, que iniciará a cobertura do clássico às 12h. A emissora oficial do Clube do Povo estará ao vivo a partir das 14h55, primeiro com a transmissão da etapa inicial de duelo entre Celeiro de Ases e Palmeiras, válido pela quarta rodada do Brasileirão Sub-20, e, depois, com a apresentação do Gre-Nal 433. Confira a programação, que pode ser acompanhada via Site e APP do Inter!

As redes sociais do Inter (@scinternacional no TwitterInstagram Facebook) acompanharão a partida com completo minuto a minuto, enriquecido pelas imagens dos principais lances do confronto. Na TV, o SporTV, com abrangência nacional, à exceção do território gaúcho, o Premiere, para todo o país, e a RBS anunciam transmissão.


Vamo, Colorado! 💪

Aguirre comandou atividades nesta sexta/Foto: Ricardo Duarte

Realizada em apenas dois dias, a preparação do Inter para o Gre-Nal 433 foi encerrada na tarde desta sexta-feira (09/07). Diego Aguirre e comissão técnica comandaram, no gramado do CT Parque Gigante, atividades técnicas e táticas com foco na movimentação e no posicionamento dos atletas que irão a campo diante do maior rival colorado.

Na Arena, Aguirre contará com os retornos de Victor Cuesta e Edenilson, dupla que esteve suspensa na rodada passada. O meio-campista, vale lembrar, é o artilheiro do Inter na atual edição do Brasileiro, com cinco gols marcados. Pendurados com dois cartões amarelos estão Moisés, Thiago Galhardo, Yuri Alberto e Leo Borges.

SuperEd está de volta!/Foto: Ricardo Duarte

O Inter abre a rodada de número 11 do Brasileirão em 14º lugar. Dono de 10 pontos até aqui, o Clube do Povo soma 10 gols marcados e 16 sofridos. Em caso de vitória sobre o Grêmio, o Colorado pode subir três posições, ultrapassando Corinthians, Juventude e Flamengo.

Grupo buscará vitória importante na Arena/Foto: Ricardo Duarte

A véspera de Gre-Nal contou com entrevista coletiva de Renzo Saravia no lado do Inter. Perguntado sobre o clássico, o lateral argentino, que recentemente retornou aos trabalhos após período afastado por Covid-19, revelou toda a motivação do grupo para a partida deste sábado.

“Me sinto em forma para jogar. O Gre-Nal é um jogo muito importante, todos querem atuar. Ter a ilusão, vontade e a motivação de vestir esta camiseta é o mais importante. Vamos todos preparados e, quem jogar, tem a confiança de todos nós. É um clássico, e vamos tratar de buscar uma vitória”

Renzo Saravia

Saravia também comentou como o Clube do Povo espera se portar diante do rival. De acordo com o argentino, a postura colorada será condizente ao peso da camisa vermelha, ainda mais em um momento no qual os três pontos assumem contornos tão importantes para as pretensões do Inter no Brasileirão.

“Amanhã buscaremos, desde o primeiro minuto, a vitória. Trataremos de ser intensos, de jogar no campo adversário e ser protagonistas. Esta camiseta pede isso. Somos uma equipe grande, e temos que trazer os três pontos para o Beira-Rio. Vamos com muita confiança e entusiasmados.”

Renzo Saravia

Arbitragem 👨‍⚖️

Flávio Rodrigues de Souza apita, auxiliado por Daniel Paulo Ziolli e Daniel Luis Marques, trio de São Paulo. Quarto árbitro: Anderson da Silva Farias, do Rio Grande do Sul. VAR: Márcio Henrique Gois, também paulista.


Rival 🆚

Felipão e Aguirre voltarão a se enfrentar/Foto: Alexandre Lops

Lanterna do Brasileirão, o Grêmio conquistou apenas dois pontos nas oito rodadas que já disputou. O mal desempenho motivou troca na casamata tricolor, que será comandada, a partir deste sábado, por Felipão. Na visão de Gabriel Corrêa, a escolha por Scolari encontra no aspecto anímico sua principal justificativa.

“Existem coisas que, às vezes, nem são do campo. Não são técnicas, táticas, físicas. Simplesmente, a gente vê que tem algo acontecendo. Então, o contexto não poderia ser outro, de um cara que chegou para ser bombeiro, para a questão do vestiário. Talvez, só ele consiga recuperar esse anímico.

Gabriel Corrêa
Brenno (24) desfalca o Grêmio no clássico 433/Foto: Ricardo Duarte

Diante do Inter, Felipão, que teve apenas um dia de trabalho junto a seus atletas, precisará superar baixas de peso. Além de Thiago Santos e Maicon, lesionados, o Grêmio também não poderá contar com Brenno, goleiro, e Matheus Henrique, volante, desfalques geram dúvidas para o meio de campo do rival colorado.

“Perder o Matheus e o Thiago Santos, os principais jogadores, é um grande problema. Não sei se vai o Darlan, porque o foco está em não perder, e o Lucas Silva te dá uma sustentação e a bola aérea. Se for Darlan com Bobsin, vai me causar uma surpresa. Todos os times do Felipão têm um primeiro volante.”

Gabriel Corrêa
Darlan (15) corre por fora na luta por vaga entre os titulares/Foto: Ricardo Duarte

Outra grande interrogação do lado gremista para o clássico reside nas laterais. Contratado no início da temporada, Rafinha tem atuado como titular pela direita, enquanto Diogo Barbosa é a peça mais recorrente na esquerda. Suas presenças, porém, são incertas, como indica Gabriel.

“A informação é que o Guilherme Guedes vai ganhar a vaga do Cortez, e o Diogo Barbosa não vai ser o lateral-esquerdo. E o Vanderson não ser titular do Grêmio, pra mim, é um absurdo. O Tiago nem tinha pedido o Rafinha. Acho que essas são as primeiras respostas que o Felipão vai dar à torcida.”

Gabriel Corrêa
Vanderson (35) pode assumir a titularidade contra o Inter/Foto: Ricardo Duarte

A brevidade do trabalho de Felipão multiplica as incertezas acerca da escalão gremista para o clássico. O time mais provável, armado com três zagueiros, conta com Guilherme Chapecó no gol; Ruan, Geromel e Kannemann na zaga; Vanderson (Rafinha), Bobsin, Darlan (Lucas Silva) e Guilherme Guedes na primeira linha de meias; Ferreira e Douglas Costa mais à frente, e Diego Souza no comando do ataque.


Palco 🏟️

Arena recebe o jogo deste sábado/Foto: Ricardo Duarte

Inaugurada em dezembro de 2012, a Arena conta com capacidade para 55.662 pessoas. Localizado na Zona Norte de Porto Alegre, o palco do clássico deste sábado fica às margens da Free-Way (BR-290), entre a BR-116 e a Rodovia do Parque (BR-448).


Em outro 10 de julho… ❤️

Fernandão comemora o Gol Mil/Foto: Mauro Vieira, Agência RBS

Há exatos 17 anos, Fernandão marcava o Gol Mil dos Gre-Nais. Partida que serviu de estreia para o Eterno Capitão com a camisa colorada, o clássico 360 foi disputado no dia 10 de julho de 2004, no Beira-Rio, e teve seu placar inaugurado apenas na etapa final.

Aos oito minutos, Vinícius marcou o 999º gol da história do clássico. Melhor em campo após o intervalo, o Inter retornara dos vestiários com a entrada de Fernando, recém-contratado, no lugar de Wilson, lesionado. Com a troca, Joel Santana desfazia o esquema de três zagueiros. Ao mesmo tempo, e disso ele não sabia, o comandante acenava para o destino.

História das mais belas já registrada no futebol, o amor entre Inter e Fernandão começou a ser escrito no minuto 34 da etapa final. Pela direita, Granja levantou bola açucarada. Na segunda trave, nosso futuro capitão subiu como apenas ele conseguia. Soberano, testou para baixo. Testou para as redes. Às 17h41 daquele gélido sábado de 2004, o Gol Mil dos Gre-Nais era marcado.

O Gol Mil/Imagem: RBS TV

Retrospecto 📊

À frente no histórico dos Gre-Nais desde 1945, o Inter já venceu 157 clássicos, 19 a mais do que o rival. Ao todo, o Clube do Povo, vazado em 562 ocasiões, já marcou 590 gols na equipe da Zona Norte de Porto Alegre. São, ainda, 137 as igualdades já registradas até hoje.

D’Alessandro comemora vitória em 2015/Foto: Alexandre Lops

Aguirre x Felipão 🔙

O último encontro de Diego Aguirre e Felipão em um Gre-Nal contou com final feliz para o povo colorado. Válido pela finalíssima do Gauchão de 2015, o clássico 406 foi disputado, no dia 3 de maio, diante de mais de 41 mil pessoas, público que lotou o Beira-Rio.

Beira-Rio jogou junto na luta pelo Penta/Foto: Alexandre Lops

Após empate sem gols na ida, o Clube do Povo precisava da vitória para conquistar o Penta do Rio Grande no tempo normal. Conscientes de sua responsabilidade, os comandados de Diego Aguirre encurralaram o rival desde o primeiro apito, e precisaram de apenas seis minutos para abrir o placar com Nilmar.

Nilmar (7) e Aránguiz (20) comemoram o primeiro gol do Inter/Foto: Alexandre Lops

O Inter cobrou mais 12 minutos para ampliar. Após grande jogada pelo corredor direito, Nilmar, que até meia-lua aplicara em Fellipe Bastos, deixou Valdívia com o gol aberto para marcar. Nos acréscimos do primeiro tempo, o Grêmio até descontou, mas foi incapaz de buscar o empate na etapa final. Inter, pela 44ª vez na história, campeão gaúcho!

Nilmar brilhou no último Gre-Nal disputado pelos atuais técnicos da dupla/Foto: Alexandre Lops

O primeiro voo de Falcão: no dia do aniversário do ídolo, relembre a estreia do craque pelo Inter

As derrotas não são parte da rotina colorada. Por mais raras que sejam, no entanto, elas não só já ocorreram, como, por vezes, eternizaram-se em nossa história. Algumas, por exemplo, foram comemoradas como verdadeiras vitórias, vide a nebulosa jornada de Quilmes, em 2010. Outras, por não significarem um obstáculo nas caminhadas do Clube do Povo rumo a suas conquistas, acabaram ficando marcadas não pelo tropeço que representaram, e sim pelos aspectos positivos que legaram como aprendizado. Este último é o caso de revés que marcou a estreia oficial do aniversariante desta sexta-feira (16/10), Paulo Roberto Falcão, que comemora 67 anos de idade.


O Clube do Povo levou mais de quatro anos para perder a invencibilidade contra times do interior gaúcho no Beira-Rio. O adversário capaz de quebrar a série colorada foi o Esportivo, comandado por Ênio Andrade e vitorioso, em 15 de abril de 1973, por 2 a 1. Afora o resultado negativo, porém, atualmente a partida traz boas lembranças à torcida vermelha. Naquele domingo de outono, o Gigante presenciou a estreia oficial de cabeludo meio-campista de 19 anos tratado como uma promessa do futebol. Seu nome? Paulo Roberto Falcão.

Falcão, em pé no canto direito, nos tempos de Celeiro

O futuro camisa 5 do Inter já gozava de grande prestígio junto ao povo vermelho, consequência do alto nível apresentado em suas exibições nas categorias de base, sobretudo nas preliminares promovidas no Gigante. Sua proeminência em meio aos mais jovens era tamanha que, mesmo sem ter disputado uma única partida como profissional, fora convocado para os Jogos Olímpicos de 1972, disputados em Munique.

Para o Inter, a derrota em casa não se desdobrou em maiores problemas. O revés, ressalte-se, foi o único sofrido na espetacular campanha dos comandados de Dino Sani no Campeonato Gaúcho de 1973. O Clube do Povo, assim como seu maior rival, disputou apenas a fase final do Estadual, realizada entre doze equipes. Para além da partida contra o Esportivo, o Colorado, praticamente impecável, acumulou 17 vitórias e quatro empates, com 43 gols marcados e 10 sofridos, campanha vencedora dos dois turnos e, portanto, campeã. O título foi o quinto seguido na caminhada rumo ao inédito e jamais igualado Octa!

Clube do Povo seria Octa gaúcho na década de 70. Na foto, Falcão está ao centro, junto de Rubens Minelli

É provável que o excelente aproveitamento no Campeonato tenha contribuído para o esquecimento dos aspectos negativos que resultaram do confronto do dia 15 de abril. Sobre o jogo, inclusive, quem roubou a cena, apesar do ilustre estreante, foi Décio, autor dos dois gols visitantes. Para o Colorado, quem marcou foi Dejair. A escalação do Clube do Povo para a partida contou com Schneider no gol; Arceu, Figueroa, Bibiano Pontes e Jorge Andrade na defesa; João Ribeiro, Carbone, depois Falcão, e Carpegiani no meio; além de Valdomiro, Claudiomiro e Dejair, depois Escurinho, no ataque.

Falcão treina observado por Dino Sani/Foto: Revista Placar, Divulgação

Consta que, no dia seguinte ao prélio, durante treinamento no Beira-Rio, Sani questionou a Paulo César Carpegiani o que ele achara da breve exibição do outro Paulo, o Roberto. Carpegiani, que poucos anos depois comandaria o Flamengo na vitória sobre o Liverpool, no Japão, comprovou o olhar diferenciado que tinha para o futebol ao pedir para o técnico do Inter que escalasse Falcão ao seu lado, pois, juntos, seriam capazes de dominar qualquer partida, independente do adversário.

A conversa com Carpegiani pareceu convencer o comandante colorado, que, aos poucos, deu mais oportunidades para o jovem. Em breve, a aposta se provaria extremamente acertada. Se é verdade que não foi um dos protagonistas na caminhada do pentacampeonato estadual, o futuro Rei de Roma soube cavar sua vaga entre os titulares do Inter. Tanto que, no ano seguinte, quando o Clube do Povo conquistou o Hexa, Falcão já estava consolidado entre os 11 iniciais da equipe vermelha, posição que seguiria ocupando ao longo de toda a década. E que década!

Maior camisa 5 da história do futebol brasileiro, entre os principais meio-campistas da história do esporte, três vezes dono do país para na sequência ser coroado monarca na Itália. Jogador cerebral e moderno, à frente de seu tempo, que ao longo da carreira esbanjou dribles, assistências e gols magistrais. Este foi – e é – Falcão.

Nem o mais criativo romancista, porém, poderia elaborar a história deste ídolo nacional, e, principalmente, do Inter, iniciada por uma derrota. Um revés que serviu de abertura para uma narrativa Gigante, à altura do palco de sua infeliz alvorada. Obrigado por tudo, Rei Falcão, e um feliz aniversário!

Rei Falcão, colorado e campeão!