Fim de ano foi especial na Colorada

Emissora oficial do Clube do Povo, a Rádio Colorada contou com programação especial nos últimos dias de 2020. Repleto de entrevistas com nomes importantes de diferentes áreas do Internacional, o Programa do Inter promoveu rica retrospectiva da temporada passada ao mesmo tempo em que projetou as expectativas vermelhas para o novo ano. De maneira simultânea, o Velhas Súmulas contou com edição enriquecida por papo com Batista, ídolo alvirrubro que relembrou o mágico Tri Invicto de 1979.


Três dias após ser eleito presidente colorado para o triênio 2021/2022/2023, Alessandro Barcellos concedeu entrevista exclusiva para a emissora do Clube. Atração do Programa do Inter de 18 de dezembro, o papo com o mandatário analisou diversos setores do Beira-Rio, todos com o mesmo enfoque de projetar os avanços esperados para os próximos anos.

“Não podemos mais negociar com o tempo, sob pena de colocarmos em risco o futuro do Clube e, aí sim, termos consequências difíceis pela frente. Por outro lado, temos um grupo de atletas promissor, interessante, que já mostrou em 2020, quando liderou durante quase todo o primeiro turno o Brasileirão, uma capacidade boa. Isso nos dá um alento de que, com algumas e precisas intervenções, a gente conseguirá enfrentar as dificuldades econômicas e financeiras, buscando o equilíbrio, e manter uma equipe competitiva.”

Alessandro Barcellos
Sport Club Internacional · Rádio Colorada | Exclusiva com Alessandro Barcellos, presidente eleito para o triênio 2021-2023

A véspera de natal contou com entrevista de campeão. Ou melhor, bicampeão. Comandante das Gurias Coloradas, Maurício Salgado respondeu com sinceridade questionamentos a respeito das convicções que carrega no futebol, além de repercutir o título do Gauchão, conquistado em 20 de dezembro, e comentar as expectativas que tem para o futuro do futebol feminino do Clube do Povo.

“Quando eu chego a uma equipe, primeiro quero definir aonde queremos chegar e, a partir daí, como iremos chegar. No Inter, o primeiro ponto foi a ideia de dar continuidade a um trabalho que já existia e, a partir daí, imprimir uma marca pessoal. Depois, foi estabelecer um modelo que gostaria de trabalhar e ver se era condizente com o que a instituição quer. Identificamos que o Internacional é uma equipe muito grande, da qual se espera um jogo protagonista”

Maurício Salgado
Sport Club Internacional · Rádio Colorada | Programa do Inter entrevista de forma exclusiva o técnico Mauricio Salgado

Natal é dia de exaltar o bom velhinho, o que no Beira-Rio significa homenagear D’Alessandro. O Programa do Inter de 25 de dezembro transmitiu especial que narrou a ímpar trajetória de 12 anos de Cabezón com a camisa colorada. Embalada por rica trilha sonora, uma coletânea de entrevistas passadas e narrações de gols históricos serviu de tributo da Mais Vermelha para um dos maiores ídolos da história alvirrubra.

“Jogar no Brasil, para mim, é um passo muito positivo na carreira, um passo muito importante. Os jogadores brasileiros, e também os argentinos, creio que todos pensam igual, estão entre os melhores do mundo. Admiro a forma de jogar do brasileiro, a alegria com que levam a vida e o futebol. Elegi o Inter porque foi quem fez esforço, quem me buscou, e assim que me procuraram, eu disse que sim.”

D’Alessandro em 2008
Sport Club Internacional · Rádio Colorada | Especial Andrés Nicolás D’Alessandro

Das categorias profissionais para a base masculina. A última semana de 2020 foi inaugurada com entrevista de Fábio Matias para o Programa do Inter. Técnico da categoria Sub-20 do Celeiro de Ases, campeão da Copa São Paulo em janeiro da temporada passada, o profissional também apresentou suas concepções de futebol durante os quase 30 minutos de conversa, que ainda contaram com análise dos atletas recentemente promovidos para o grupo profissional, projeção das expectativas para 2021 e, é claro, repercussão do ano que chegava ao fim, marcado pela tão cobiçada taça em território bandeirante.

“Por não ter mais a equipe de Aspirantes, a gente (Sub-20) passa a ser, na teoria, o ponto principal da questão da transição da base para o profissional. Nesse ano, no Brasileiro, a gente novamente reduziu a idade dentro da competição. A geração da Copa São Paulo já está no profissional, então se começa um novo ciclo. Isso faz com que você dê rodagem. É algo que a gente tem feito e, felizmente, temos sido bem-sucedidos neste processo.”

Fábio Matias
Sport Club Internacional · Rádio Colorada|Entrevista exclusiva com Fabio Matias, técnico do Sub-20 do Internacional | 28/12/20

Diretor geral das categorias de base do Clube do Povo, Fabrício Delaix foi o convidado do Programa do Inter da última terça-feira (29/12). Representante do Clube do Povo, o dirigente comentou os desafios enfrentados em um ano de pandemia, projetou o futuro do departamento e rememorou grandes momentos das recentes temporadas do Celeiro de Ases.

“Temos feito uma transição em alto nível, eu não esperava diferente. O próprio Alessandro, presidente eleito, esteve há pouco tempo no Departamento de Futebol e conhece os profissionais. Então, tudo vem sendo feito em nome do Clube, com as coisas muito claras e muito transparentes. Deixamos também um trabalho construído junto com a Double Pass, que é um legado importante.”

Fabrício Delaix
Sport Club Internacional · Rádio Colorada | Entrevista com Fabricio Delaix, diretor geral das CAT. de base do Colorado|29/12/20

O último dia do ano foi de mais Celeiro de Ases na Rádio Colorada. Gerente geral das categorias de base do Clube do Povo, Erasmo Damiani foi o entrevistado do Programa do Inter da quinta-feira 31 de dezembro. O papo, que durou cerca de uma hora, abordou temas como captação de atletas, título da Copa São Paulo de 2020, metodologias para a revelação de jogadores e muito mais.

Erasmo Damiani (D)

“Toda conquista é importante. O nosso planejamento de 2019, de disputar o Brasileiro Sub-20 com uma categoria Sub-18, era de essa equipe chegar em janeiro, na Copa São Paulo, e fazer uma competição muito boa. Claro que você programa, tenta ser campeão, mas não é algo fácil. Mas fomos caminhando, sem o holofote em cima, ganhando um jogo aqui, um jogo ali… e aí, quando você chega numa semifinal, você já está com o objetivo alcançado e a dois passos da conquista, que fica ainda mais importante porque foi a primeira final contra o Grêmio, pro Brasil todo ver.”

Erasmo Damiani
Sport Club Internacional · Rádio Colorada|Exclusiva com Erasmo Damiani, Gerente Geral das categorias de Base do Inter |31/12/20

Os dias que encerraram dezembro, todavia, passaram longe de ser uma exceção na rotina do Programa do Inter ao longo de 2020. Diversas atrações imperdíveis participaram da emissora oficial do Clube do Povo nos últimos meses, mesmo em tempos de paralisação dos campeonatos em virtude da pandemia do novo coronavírus. Confira abaixo todos os conteúdos especiais produzidos no ano passado:


Uma dose de nostalgia e visita aos ontens da gigante biografia do Clube do Povo, o Velhas Súmulas é a atração dos finais de semana alvirrubros. Enriquecido por entrevistas com ídolos colorados, bem como muita literatura e música, o programa recebeu, no último final de semana de 2020, um convidado de luxo. Meio-campista do Inter nas décadas de 70 e 80, Batista rememorou o inédito e jamais igualado título invicto do Brasileirão de 79, conquista que completou, no dia 23 de dezembro, 41 anos.

“O time de 1979, depois de uma temporada ruim que antecedeu o Brasileirão, foi para uma recuperação. Terminamos pegando junto e fomos campeões invictos, até hoje uma coisa bastante difícil de ser superada. Mas nós não jogamos para ser invicto, só fomos jogando e ganhando. A gente queria era ser campeão.”

Batista
Sport Club Internacional · Rádio Colorada | Entrevista com ex-meio-campista Batista | 26/12/2020

Atração inaugurada em maio de 2020, o Velhas Súmulas emocionou colorados e coloradas a cada nova semana do ano passado. Gigantes como Iarley, Abel Braga, Valdomiro, Pinga, Rei Dadá, Príncipe Jajá, Rubens Minelli, Nilmar, Dunga e Théssa são alguns exemplos da longa nominata de entrevistados do programa, lista que você encontra na íntegra no link abaixo.

Gurias Coloradas: Retrospectiva 2020

Fotos: Mariana Capra/Internacional

Que ano para as Gurias Coloradas! Mesmo com todas as dificuldades que 2020 apresentou ao mundo, o time feminino do Internacional conseguiu trilhar uma campanha histórica nessa temporada. No Brasileirão A1, finalizou a sua jornada na terceira colocação geral, com 33 pontos, chegando até as quartas de final da competição. No estadual, coroou a campanha invicta com a taça do bicampeonato gaúcho. Além de contar, ainda, com um título inédito para o Clube do Povo nas categorias de base, o Brasileirão Sub-16!

Grupo Forte
Todas as 27 atletas que formam o plantel colorado entraram em campo neste ano. A rotatividade do elenco permitiu que o grupo se mantivesse entrosado e brigando forte em todas as competições que disputou. A equipe vermelha contou ainda com a juventude do Celeiro de Ases: atualmente oito atletas reveladas pelas categorias de base do Internacional integram o elenco profissional. A goleira Mayara, as laterais Bruninha e Belinha, a zagueira Isa Haas, as meias Julia e Malu e as atacantes Layssa e Jheniffer participaram com grande destaque na campanha colorada.

“O nosso time muda, mas não sem convicção, nada aleatório. A gente muda com essa ideia de que temos um elenco forte e de que um elenco forte se constrói com todas as atletas em campo atuando. Uma jogadora polivalente demonstra a evolução do futebol, ela entende mais o jogo e aumenta o nosso leque de possibilidades”, afirma o técnico colorado, Maurício Salgado.

No comando há dois anos, Salgado apresentou as suas credenciais logo no primeiro ano à frente da equipe, quando levou o Colorado até as quartas de final do Brasileirão A1 e ao título gaúcho, de forma invicta, em 2019. “Eu sempre tenho um planejamento, quando chego a uma nova equipe coloco como prioridade onde queremos chegar e, a partir daí, como podemos chegar. Então, logo que eu cheguei no Inter, o primeiro ponto foi a ideia de dar continuidade a um trabalho que já existia e a partir daí ir imprimindo a minha marca pessoal”, afirma o comandante.

Números que impressionam
No Brasileirão A1 2020, o Clube do Povo chegou até as quartas de final, sendo a equipe com o segundo melhor ataque. Foram incríveis 42 gols marcados, sendo vazado apenas 18 vezes durante as 17 partidas disputadas. Ao todo, são dez vitórias, quatro empates e três derrotas com 66% de aproveitamento. Na primeira fase, as Gurias Coloradas foram superadas apenas pelos dois times que fecharam a ponta de cima da tabela, Corinthians e Santos, respectivamente. 

“Fomos a equipe do Campeonato Brasileiro que mais roubou bola no primeiro terço do campo entre todas as equipes que disputavam a competição. Além de ser a equipe que mais gerou finalizações a gol, e isso comprova, primeiro, a excelência do trabalho físico desenvolvido e, segundo, a proposta de jogo que funcionou”, avalia Salgado.

Normalmente atuando em um 4-3-3 que se adapta ao longo do embate, o esquema colorado impressionou com a sua consistência defensiva, comandada pela experiente capitã Bruna Benites. Com poucos revés ao longo do campeonato, o comandante buscou utilizar suas forças desde a saída de bola, construindo jogadas da defesa ao ataque pelos corredores laterais. A aposta foi na velocidade, impondo acelerado ritmo de jogo, e na antecipação de jogadas através das tomadas de decisão do plantel, o que é comprovado através da grande quantidade de atletas envolvidas nos gols colorados. A equipe, que muitas vezes somou posse de bola superior às rivais, fez o setor ofensivo ser marcado por intensa movimentação.

“O nosso sistema ofensivo trabalha muito com variações táticas que começam desde a defesa até o ataque e nesse ano demos muita ênfase para os corredores de campo, variações de corredores, preencher espaços e a partir daí incentivar também as tomadas de decisão, deixar que a jogadora possa decidir. A gente busca trabalhar com várias alternativas de jogo de acordo com os adversários”, explica Salgado.

A artilharia colorada no campeonato ficou com a maior artilheira de todas as edições do Brasileirão Feminino, Byanca Brasil. A camisa nove foi responsável por anotar dez tentos na competição, sendo a segunda colocada na artilharia geral desta edição, e 47 na contagem geral de todas as edições, além de abrilhantar o campeonato com suas lambretas. O pódio ainda é formado por Jheniffer, cria do Celeiro de Ases, que marcou nove gols. O terceiro lugar é de Fabi Simões, que, lesionada na primeira fase da competição, disputou onze embates e balançou as redes em três ocasiões.

Além disso, os números apontam para a excelência do departamento médico colorado. O Inter foi o time com menos casos de Covid-19 entre as equipes do Brasileirão, o que denota o cuidado das atletas e de todos os profissionais envolvidos. O Colorado é também o grupo com menos lesões graves com necessidade de cirurgias, devido ao ótimo trabalho de preparação física, feito por Suellen Ramos.

Bicampeonato Gaúcho
Já no Gauchão, o Clube do Povo finalizou o ano erguendo mais uma vez a taça. O bicampeonato veio de forma invicta, com 100% de aproveitamento. Foram três vitórias nas três partidas disputadas, com um saldo total de 30 gols marcados e apenas um sofrido, caracterizando o melhor ataque e a melhor defesa da competição. 

As Gurias Coloradas superaram Brasil de Farroupilha e João Emílio na primeira fase para se consagrarem campeãs em um clássico Gre-Nal. Esta foi a segunda taça consecutiva e a nona na história, confirmando a supremacia vermelha, após a vitória por 2 a 1. A artilharia da competição também foi colorada. Byanca Brasil fechou o campeonato com seis gols marcados, sendo um deles na final, e assumiu a primeira colocação, sendo seguida pelas companheiras de equipe Djeni Becker e Jheniffer, com cinco gols cada. 

“Quem assiste a um jogo do Internacional espera que ele seja sempre o protagonista, esteja sempre com a bola, propondo o jogo, sendo um time agressivo. Esse é o nosso modelo.”, afirma Salgado.  

O título marcou ainda uma conquista pessoal da camisa sete das Gurias Coloradas, Shashá. No dia 18 de dezembro a atleta se despediu da sua mãe, Sandra Pedrozo, que faleceu devido a complicações de saúde. Dois dias depois, no dia 20 de dezembro, lá estava ela em campo para dedicar a conquista para quem sempre a apoiou. Amparada por toda a equipe, a atacante lutou até o apito final.

Foto: Adriano Fontes/CBF

Celeiro de Ases
Cada vez mais forte, a base colorada vem rendendo frutos para o Clube do Povo e esse foi um ano de conquistas para as Gurias Coloradas Sub-16. Em janeiro, foram as responsáveis por levantar a taça da Libertadores da categoria em uma campanha impressionante. Além de serem líderes do Grupo B, ao todo foram quatro vitórias e um empate, com doze gols convertidos e apenas dois sofridos. O Colorado superou quatro adversários: Liverpool-URU, Seleção Antioquia-COL, Colo-Colo-CHI e Guarani de Fortuna-PAR. Além disso, as Gurias já haviam levantado a taça da Liga de Desenvolvimento CONMEBOL na etapa nacional em 2019. Agora, estão classificadas para a Copa Disney, o Mundial da categoria, que reúne os classificados de cada continente em Orlando, nos Estados Unidos, sem data definida após adiamento devido à pandemia. 

Por fim, elas encerraram o ano sendo campeãs do Brasileirão Sub-16. Invicto,‌ ‌o‌ ‌Colorado‌ ‌não‌ ‌perdeu‌ ‌nenhum‌ ‌dos‌ ‌jogos‌ ‌que‌ ‌disputou‌ ‌na‌ ‌competição.‌ ‌Foram‌ quatro‌ ‌vitórias‌ ‌e‌ ‌um‌ ‌empate‌ ‌com‌ ‌triunfo‌ ‌nos‌ ‌pênaltis, superando Santos, Audax, Lusaca-BA e Minas Brasília.‌ Ao todo, foram onze‌ ‌gols‌ ‌marcados‌ ‌e‌ ‌apenas‌ ‌um‌ ‌sofrido,‌ ‌com a‌ ‌melhor‌ ‌defesa‌ ‌e‌ ‌o‌ ‌melhor‌ ‌ataque da competição, assim como a equipe profissional. ‌A‌ ‌artilharia‌ ‌colorada foi ‌comandada‌ ‌por‌ ‌Clarinha‌, dona de quatro ‌tentos, e vice-artilheira geral da competição. 

“O grupo está de parabéns! Fomos a equipe que fez mais gols e sofreu menos gols, não perdemos nenhum jogo, empatamos apenas um, e ganhamos todos os demais. Isso mostra a força que nós temos! Esse foi o primeiro campeonato oficial do ano e conseguimos sair com o título”, destaca David da Silva, técnico da equipe.

As demais categorias não tiveram seus campeonatos realizados neste ano em decorrência da pandemia, mas carregam na bagagem conquistas importantes, como o estadual Sub-14, 16 e 18 e o Brasileirão Sub-18, em 2019. Além disso, as atletas coloradas são presença frequente nas listas de convocação que compõem as Seleções Brasileiras de base. 

Buscando fortalecer essa relação base-profissional, os técnicos responsáveis por cada categoria mantém contato constante com Maurício Salgado e a sua comissão técnica, trocando informações sobre as equipes e atletas. A observação e captação é um dos pontos imprescindíveis para Salgado, que se tornou um dos comandantes que mais utilizou atletas da base em competições profissionais neste ano.

Em entrevista exclusiva, Marcelo Lomba comemora bons números, ofensivos e defensivos, da zaga colorada em 2020

Alegria do nosso coração, o Clube do Povo brindou a Maior e Melhor Torcida do Rio Grande com atuações de encher os olhos nas semanas passadas. Desde a estreia na temporada, ocorrida no dia 23 de janeiro, até a última jornada, disputada diante do São José em 15 de março, foi visível a evolução de um trabalho que, desde sua alvorada, mostrava-se promissor em diversos setores. Entre eles, a sempre segura retaguarda, é claro.

Tradicionalmente disposto com uma linha de quatro defensores em frente à meta, o Inter do técnico Eduardo Coudet já viu 14 atletas diferentes formarem este quarteto. Ao todo, foram quatro os nomes que, mesmo que por alguns minutos, ocuparam a lateral-direita em 2020. São eles: Heitor, Rodinei, Saravia e Edenilson. No lado oposto foram três, casos de Uendel, Moisés e Natanael. Por fim, o miolo de zaga já foi formado por sete jogadores, incluindo Victor Cuesta, Rodrigo Moledo, Bruno Fuchs, Roberto, Pedro Henrique, Zé Gabriel e Damián Musto, argentino que desempenhou a função nos instantes finais do duelo diante da Universidad Católica, válido pela primeira rodada da fase de grupos da Libertadores.

Rodinei, Musto e Fuchs: trio comprova a eficiência do sistema defensivo colorado

Em oposição à grande variedade de opções disponível para Eduardo Coudet escalar o Colorado, o total de gols sofridos pelo Inter na temporada é baixo. Dos 15 confrontos já disputados, somente em sete ocasiões a meta vermelha foi vazada, sendo três dessas em uma partida, a terceira da temporada, realizada ainda no mês de janeiro, apenas três semanas após a reapresentação do grupo alvirrubro. Os meses de fevereiro e março, inclusive, viram o Clube do Povo sofrer um único tento em cada, prova cabal da evolução do trabalho, como revelou Marcelo Lomba em entrevista exclusiva para a Mídia do Inter. “O time tem, às vezes, mudanças por causa do calendário e da quantidade de jogos, e todo mundo tem dado respaldo. Essa média de gols não é de um ou outro que jogam, mas sim de todos. A gente está se sentindo bastante confortável, mas é claro que isso demanda tempo, pegar 100% do que o Coudet tem para nós taticamente. Nós treinamos muito na pré-temporada, só que a chegada dos jogos nos obrigou a acertar detalhes e ter um entendimento maior do que ele nos passava. Isso, só o tempo dá.”

Titular nas seis partidas disputadas pelo Inter na Libertadores até o presente momento, Marcelo Lomba ainda não viu sua rede balançar na principal competição deste primeiro trimestre. A série é a maior já registrada pelo Clube no torneio continental, superando em dois jogos a antiga melhor marca, alcançada em 2010. Números impactantes, e que alegram o goleiro. “A gente está bastante feliz com esses números da defesa, são de equipe que briga por título. É muito importante, principalmente quando você disputa torneios de mata-mata, duelos classificatórios, pois nos deixa mais perto da vitória.”

O futebol atual exige que as funções de marcação não sejam responsabilidade exclusiva de zagueiros e laterais. Continentalmente reconhecido neste início de temporada pela intensidade de suas exibições, o Internacional tem nos seus atacantes os primeiros defensores da equipe. Desta pressão no campo adversário, inclusive, já surgiram gols importantes para o Clube do Povo em 2020, a exemplo do tento de Boschilia, contra a Universidad de Chile, e o segundo de Guerrero diante da Católica, ambos anotados no Beira-Rio. Tamanho comprometimento da linha ofensiva alvirrubra é comemorada por Lomba, arqueiro que defendeu a meta alvirrubra em 13 ocasiões no ano – Danilo Fernandes, outro paredão colorado, atuou em duas partidas. “A gente está se sentindo muito bem fisicamente e, é claro, uma parte tática ajustada ajuda a poupar esforços. O ataque vem ajudando muito, é impressionante. Temos atuado com a equipe um pouco mais adiantada e compactada, isso tem feito muito bem, pois estamos muito bem treinados, fazendo exatamente o que o Coudet está pedindo, o que tem nos dado condição de, em 90 minutos, manter a mesma intensidade. É uma característica muito boa, que passa confiança e, acredito, é uma das grandes chaves do nosso bom desempenho neste início de ano.”

Ocupando, ao lado de Manga, o posto de segundo goleiro com mais exibições pelo Inter na Libertadores, 16, Lomba também sabe que é da defesa que se começa um ataque. Atleta extremamente participativo na saída de jogo alvirrubra e que, inclusive, já computa uma assistência com o manto colorado, em 2019, o carioca de 33 anos vem se adaptando cada vez mais às exigências para que, além de usar as mãos, também brilhe com os pés. “É muito bom sair jogando, algo que a gente, neste ano, tem treinado exaustivamente. E nós entendemos bem essa dinâmica, com os zagueiros participando também da construção das jogadas, e o mais importante é que todos têm feito essa troca de passes, essa movimentação, o que ajuda a jogar um futebol com alegria e leveza. E isso é bom, vai pro vestiário, nos dá ainda mais confiança.”

Não é apenas no campo de defesa, registre-se, que os atletas da primeira linha colorada participam ativamente da criação de jogadas. Dos 23 gols marcados pelo Inter no ano, sete contaram com o brilho de zagueiros ou laterais alvirrubros. Logo na terceira partida da temporada, Rodrigo Moledo, em preciso cabeceio, marcou o segundo do Inter contra o São Luiz e abriu esta contagem. Duas rodadas depois foi a vez de Heitor brilhar, desta vez balançando as redes em preciso chute de perna canhota. Na estreia do Clube do Povo como mandante na Libertadores, Moisés lançou Marcos Guilherme, que marcou o segundo e último do confronto. Também válido pelo torneio continental, o gol de Guerrero, que classificou o Inter à fase de grupos do certame, teve origem em lançamento de Bruno Fuchs.

Iniciado o returno do Gauchão, o protagonismo ofensivo dos atletas da retaguarda seguiu presente, com todas as três partidas disputadas pela fase tendo seu escore construído através da ação de nossos defensores. Contra o Caxias, Rodrigo Moledo sofreu a penalidade convertida por Thiago Galhardo. Diante do Brasil de Pelotas, Saravia serviu Patrick com cruzamento açucarado, originando o primeiro tento alvirrubro na ocasião. Já enfrentando o São José, foi Moisés quem, com passe rasteiro, acionou Nonato, autor do segundo do Colorado no duelo.

Com a paralisação do calendário futebolístico em decorrência da pandemia mundial de Covid-19, enfermidade causada pelo novo coronavírus, as exibições de alto nível do Inter, como um todo, e de sua retaguarda, em especial, foram brevemente interrompidas. Hiato que servirá de motivo de saudades para a Maior e Melhor Torcida do Rio Grande, é claro, mas também para perpetuar a certeza de que, quando retomadas as partidas, o Clube do Povo estará pronto, e devidamente protegido, para seguir empolgando nos gramados de Rio Grande, Brasil e América afora.